Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

por Redação do Fórum da Construção

7 dicas para melhorar a segurança em condomínios



Cuidar da segurança é uma prioridade em todos os condomínios. Afinal, com o aumento da violência nas cidades, a população procura alternativas para viver segura. Uma delas é justamente comprar apartamentos em condomínios, por conta da maior privacidade que eles proporcionam e do maior distanciamento dos perigos.

Independente das estratégias usadas pelo condomínio, o importante é oferecer um ambiente tranquilo e livre de ameaças, que garanta a integridade de seus moradores e de seus bens e que transmita cada vez menos a sensação de vulnerabilidade que nos ronda ultimamente.



Confira, no artigo de hoje, sete dicas para melhorar a segurança em condomínios!

1. Contrate profissionais especializados

A segurança depende muito da capacitação dos profissionais que trabalham no condomínio. Por isso, na hora de contratar, leve em conta as referências, o currículo e as habilitações de cada profissional. Se for necessário, determine um período de teste para avaliar melhor como ele se comporta em sua função.

Zeladores, porteiros e seguranças devem demonstrar conhecimentos específicos e atualizados, sabendo aplicar medidas preventivas de segurança, evitando que o condomínio fique vulnerável e compensando possíveis limitações de recursos com técnicas eficazes.

2. Faça uso de segurança eletrônica

Hoje em dia já é possível usar a tecnologia a favor da segurança. Existem diversos dispositivos de segurança eletrônica que contribuem com as atividades dos vigilantes e porteiros.

Nesse sentido, alguns bons investimentos são as câmeras 24 horas, sistemas de alarme integrados a uma central de atendimento, diferentes tipos de sensores, mecanismos automáticos que coíbem o acesso de pessoas (como os que acusam a presença de objetos metálicos, os que detectam a presença de estranhos em determinados espaços, os que travam a passagem após certo tempo) e assim por diante.

Investir em tecnologia é necessário e favorece a reputação do condomínio. Isso certamente, contribuirá, ainda, para que a demanda por compra e aluguel aumente. A tecnologia é uma importante aliada no combate à violência e ao índice elevado de assaltos e homicídios.

3. Controle a entrada de pessoas

O controle para visitantes deve ser rigoroso, uma vez que muitos dos crimes acontecem porque os moradores abrem as portas para o criminoso. Todo visitante deve se identificar e sua presença deve ser autorizada pelo morador do condomínio.

No caso da visita de prestadores de serviços, como fiscalizadores, instaladores, entregadores e outros profissionais, o controle deve ser o mesmo, exigindo identificação e confirmando se condôminos ou funcionários estão aguardando sua chegada.

A identificação é uma garantia sobre a idoneidade do profissional, seja ele um policial, um médico, um técnico de consertos ou outro. Contudo, muitos assaltantes já costumam falsificar identificações ou se disfarçar como determinados profissionais para facilitar sua entrada em condomínios — isso exige maior controle no acesso de pessoas.

Dessa forma, é imprescindível que o controle de entrada de pessoas seja realizado por profissionais extremamente qualificados, que saibam realizar esse procedimento com a tranquilidade e com a discrição necessária para não constranger as pessoas que pretendem ingressar nas dependências do condomínio, mas também de forma que seja possível assegurar que não existam riscos para os moradores.

4. Use a guarita como peça-chave na segurança em condomínios

A guarita é um elemento fundamental no processo de segurança do condomínio. Ela deve estar bem posicionada, em local estratégico. A guarita corresponde a uma torre de vigilância — portanto, deve ser visível do lado de fora do condomínio e permitir que o funcionário que a ocupa tenha uma boa visão do espaço ao redor.

Para atuar com a eficiência e o rigor necessários, a guarita deve ser uma passagem obrigatória do meio externo para o interno, dando acesso ou impedindo a entrada.

Por motivos óbvios a guarita nunca deve estar vazia, e o mais indicado em termos de segurança é que o porteiro esteja acompanhado de um ou mais profissionais especializados em segurança condominial, para evitar a incidência de assaltos em função da vulnerabilidade aparente do local.

Guaritas com mais de um segurança inibem a ação de marginais e pessoas mal intencionadas, pois a impressão que é transmitida é de que o condomínio está devidamente protegido.

5. Adote procedimentos emergenciais

Casos de emergência podem acontecer. Por isso, é conveniente ter telefones úteis por perto ou senhas para acelerar a comunicação entre condôminos e funcionários, como vigilantes e porteiros.

Assim, caso um morador, por exemplo, sofra uma tentativa de assalto em seu carro, poderá contatar o segurança através de uma senha específica, pedindo ajuda. Caso ocorra um problema dentro de algum dos apartamentos, o morador também terá meios ao alcance para solicitar ajuda.

6. Estabeleça normas e políticas internas do condomínio

É importante estabelecer no condomínio uma série de normas próprias que envolvam moradores e funcionários. Essa é uma forma de orientar as partes interessadas sobre a necessidade de tomar medidas preventivas ou corretivas para melhorar a segurança do conjunto. Entre normas para condôminos, podemos citar:

-Participar das reuniões feitas no condomínio que abordem o tema “segurança”;

- Cuidados ao abrir a porta, sempre confirmar quem está do lado de fora (o olho mágico é um bom recurso) e colocar a trava de segurança;

- Não acionar portão automático a distâncias longas (principalmente se perceber que está sendo observado);

- Trancar sempre a porta do apartamento, mesmo para saídas rápidas, e evitar deixá-la aberta mesmo estando em casa;

- Ter uma boa relação com os vizinhos e estabelecer com eles formas de comunicação em caso de perigo, como sinais luminosos, telefonemas e códigos diversos;

- Instalar equipamentos de segurança no apartamento;

- Receber entregadores na guarita em vez de recebê-los no próprio apartamento;

- Não deixar chaves ou cópias delas com funcionários, nem na guarita (esqueça os “locais secretos”, como o interior de vasos, embaixo dos tapetes e acima dos batentes);

- Não falar demais diante de funcionários ou mesmo de moradores que não são próximos, evitando revelar onde guarda dinheiro ou joias, os horários que costuma sair e quando viajará (deixando o apartamento sozinho);

- Cuidado ao contratar empregados pessoais (exija referências e credenciais, conheça seu histórico).


Essas são algumas medidas que visam reduzir a incidência de assaltos e de violência. Síndicos e vigilantes também devem seguir normas próprias do condomínio para garantir maior segurança, participando de treinamentos periódicos e atualizando-se sobre estratégias eficazes.

As técnicas de defesa pessoal podem ser aprendidas por todos, mas são pouco recomendadas (principalmente, em abordagens com armas de fogo). É necessário aplicar as técnicas com muita destreza — caso contrário, elas vão somente contribuir para que o número de mortes e ferimentos aumente.

Os criminosos, via de regra, estão preparados para matar e, se percebem qualquer movimento suspeito da vítima, têm maior probabilidade de atirar.

7. Terceirize os serviços de uma empresa especializada

Outra boa opção é contratar serviços de uma empresa especializada. Essa iniciativa contribui para reduzir custos e aumentar a eficiência na segurança. As empresas especializadas dispõem de profissionais preparados e confiáveis, que fazem cursos periódicos e mantêm-se sempre atualizados sobre o assunto, sabendo como lidar com diferentes situações.

Outra vantagem que as empresas terceirizadas oferecem é a tecnologia de ponta, com sistemas de alarme e câmeras 24 horas, que permitem o monitoramento em tempo real e o pronto atendimento em casos de necessidade.

Terceirizando os serviços de segurança em condomínios, o síndico satisfaz os moradores e os funcionários e, ao mesmo tempo, otimiza custos e tempo, podendo aplicar-se com mais afinco às outras necessidades do lugar.



Fonte:blog.seguridade.com.br




Visite nossas páginas no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao e Twitter - www.twitter.com/forumconstrucaoCurta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

7 dicas para melhorar a segurança em condomínios

Câmeras de segurança: em quais lugares a lei permite instalar?

Conselhos para evitar assaltos à residências

Fique atento à segurança residencial durante as férias de julho

Corrimão: Item de Segurança

Acesso facilitado de veículos em condomínios causam fragilidades à segurança

Portarias despreparadas de condomínios podem facilitar ações criminosas

Como os marginais escolhem uma casa para invadir?

Dicas de Segurança - Em Residências e Empresas

Dicas de Segurança Residencial

Como escolher um sistema de alarme residencial

Dicas de Segurança em Residências

Como o ladrão escolhe um prédio para invadir?

Cuidados que o zelador deve ter para prevenir incêndios

Segurança em casa é garantia de férias (ou passeios) tranquilas

Porteiro e as qualidades que deve ter

Como deixar a casa segura durante as férias.

Você cuida da porta de seu apartamento?

Estratégia de defesa para condomínios

Construindo Segurança de sua familia

Janela vigilante detecta movimento à sua frente

Cuidado antes, para não se arrepender depois

Segurança monitorada : O olho mágico eletrônico

Arquitetura e segurança em casas de campo e de praia

EPI é necessidade para todo profissional

A influência da Arquitetura na Segurança