Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

por Redação do Fórum da Construção

Saiba como funcionam os tipos de sensores de alarme



Sensores são dispositivos que detectam a presença de pessoas, animais ou veículos em um determinado espaço. Há diferentes tipos de sensores que, ao serem interligados à central de alarme (monitorada ou não-monitorada), formam um eficiente sistema de segurança eletrônica para residências, condomínios e empresas.



Neste artigo, vamos apresentar os tipos de sensores de alarme encontrados no mercado e as principais funcionalidades de cada dispositivo. Vale lembrar que eles são indispensáveis às centrais, cumprindo com o objetivo de detectar, comunicar e até evitar ações criminosas.

Os diferentes tipos de sensores de alarme

Os sensores conseguem identificar se há alguém (ou algo) no local onde são instalados. Isso ocorre por meio de detecção de movimentos, variação de temperatura, micro-ondas ou pela interrupção de feixes infravermelhos. Existem também dispositivos que unem duas formas de detecção (geralmente infravermelho e micro-ondas) para diminuir as chances de alarmes falsos, especialmente quando há a circulação de animais de estimação ou com diferenças de umidade e temperatura, como jardins e varandas.

A comunicação entre o sensor e a central de alarme pode ser feita com fio ou sem fio, sendo nesse caso realizada via rádio frequência.

De acordo com a tecnologia que o dispositivo utiliza para detectar presença, podemos dividir os tipos de sensores por:

Sensores infravermelho passivo (IVP) – detectam a movimentação de luz infravermelha emitida por corpos quentes (como os de um humano). Assim, quando identificam a presença de uma pessoa, ‘avisam’ a central de alarme.

Pela forma de detecção, esses sensores não devem ser utilizados próximos a locais com grande variação de temperatura, como locais onde há lareira, aquecedor, ar condicionado etc, apesar de haver modelos com compensação real de temperatura.

Para amenizar os disparos em falso, estes dispositivos possuem diversos ajustes de sensibilidade e de alcance, como a Função Pet que pode ser ajustado para não identificar animais acima de um determinado peso limite pré-definido pelo usuário (20 kg ou 30 kg), permitindo que o seu animal de estimação transite livremente pela casa sem que o sistema de alarme dispare;

Sensores infravermelho ativo (IVA) – os sensores ativos trabalham em pares, onde o transmissor emite feixes de infravermelho – que é um tipo de luz bastante difícil de ser percebida pelo olho humano – para o receptor.

Quando alguém ou alguma coisa ‘corta’ esse feixe de luz na área protegida, o sensor detecta e emite um sinal, se utilizados em portas dos elevadores e em portões automáticos impedem acidentes (antiesmagamento).

Também pode ser usado para proteção de perímetros, aumentando ainda mais a segurança juntamente com as cercas elétricas, formando uma barreira virtual, ou até para proteger um perímetro maior em residências, comércios e indústrias;

Sensores de micro-ondas – estes sensores captam os movimentos através do efeito Doppler. Ou seja, o dispositivo emite as micro-ondas e o objeto que está em movimento as reflete. Assim, o sensor micro-ondas é composto por três componentes: um emissor, um receptor e um circuito de análise e detecção que analisa os sinais refletidos;

Sensores magnéticos (de abertura) – são utilizados para detectar abertura e fechamento indevidos de janelas e portas e para evitar invasões. Funcionam através de um contato elétrico e um ímã.

A função do ímã é manter o sensor acionado e, no caso de abertura de porta ou janela, há afastamento dos contatos, enviando imediatamente um sinal para a central de alarme. Pode ser encontrado com fio ou sem fio.

No caso de ser sem a fiação, o sensor emite sinais de rádio frequência quando houver abertura da porta ou janela, que são captados pelo receptor conectado diretamente à central de alarme.

Além de estar interligados à central de alarmes, alguns tipos de sensores também podem ser utilizados acoplados ao sistema de iluminação ou de videomonitoramento. Assim, ativam o funcionamento de luzes ou a movimentação de câmeras de segurança logo que detectar alguma atividade fora do padrão.



Fonte:blog.intelbras.com.br



Visite nossas páginas no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao e Twitter - www.twitter.com/forumconstrucaoCurta, Divulgue








Comentários

Mais artigos

Saiba como funcionam os tipos de sensores de alarme

Equipamentos de segurança residencial que você não pode ignorar

7 dicas para melhorar a segurança em condomínios

6 Dicas fundamentais de segurança residencial para deixar sua casa protegida!

Câmeras de segurança: em quais lugares a lei permite instalar?

Conselhos para evitar assaltos à residências

Fique atento à segurança residencial durante as férias de julho

Corrimão: Item de Segurança

Acesso facilitado de veículos em condomínios causam fragilidades à segurança

Portarias despreparadas de condomínios podem facilitar ações criminosas

Como os marginais escolhem uma casa para invadir?

Dicas de Segurança - Em Residências e Empresas

Dicas de Segurança Residencial

Como escolher um sistema de alarme residencial

Dicas de Segurança em Residências

Como o ladrão escolhe um prédio para invadir?

Cuidados que o zelador deve ter para prevenir incêndios

Segurança em casa é garantia de férias (ou passeios) tranquilas

Porteiro e as qualidades que deve ter

Como deixar a casa segura durante as férias.

Você cuida da porta de seu apartamento?

Estratégia de defesa para condomínios

Construindo Segurança de sua familia

Janela vigilante detecta movimento à sua frente

Cuidado antes, para não se arrepender depois

Segurança monitorada : O olho mágico eletrônico

Arquitetura e segurança em casas de campo e de praia

EPI é necessidade para todo profissional

A influência da Arquitetura na Segurança