Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

Em Patologias da construção (veja mais 22 artigos nesta área)

por Roberto Boscarriol Jr.

Como lidar com as trincas nas edificações



Podemos, entre os diversos tipos de patologias dos edifícios, falar das trincas (nome genérico) nos mesmos. Entre outros, podemos destacar os seguintes aspectos: psicológico, o de possível comprometimento da estrutura e o de vazamentos.


Com o advento de novas tecnologias de materiais e técnicas de execução, geradas pela evolução dos projetos, as construções se tornaram mais leves, esbeltas e com menos contraventamento.

Mas, podendo constituir uma das demandas judiciais mais comuns, as trincas ainda apresentam riscos de produzir efeitos indesejáveis e perigosos. Essas ocorrências podem ser tipificadas por: fissura capilar, fissura, trinca, rachadura, fenda e brecha (desde menos de 0,2 mm até mais de 10 mm).

Suas principais causas são: variação de temperatura, variações de umidade, sobrecarga na estrutura, recalques nas fundações e alteração da química dos materiais.

As mais graves são as da estrutura, destacando-se as dos pilares, as quais podem causar a queda de partes ou de todo o edifício. Elas são causadas por: processos eletroquímicos, ambientes úmidos, elementos agressivos, lavagens com cloretos e choques mecânicos.

Nas fissuras horizontais poderemos ter infiltrações na época das chuvas, por higroscopia e em contato com a terra também, com rompimento da impermeabilização rígida.

Outro problema que tem preocupado os síndicos, principalmente nas construções mais velhas, é o aparecimento de trincas causadas pela transformação da armadura em óxido de ferro (ferrugem), que por ter maior volume, trinca o concreto que acelera o processo de corrosão. Isso pode causar o comprometimento das lajes, vigas e pilares, também chegando à ruptura e queda desses elementos ou do todo.

Apesar de estar configurado como exatas (divisão pedagógica), as construções e seus materiais sofrem dos males da dilatação e retração por diferenças de temperatura, químicos e efeitos higroscópicos, necessitando de verificação, manutenção e correções.

Nem sempre é fácil diagnosticar as causas das trincas. Para tanto, é necessário, em alguns casos, ensaios de laboratório e revisão dos projetos, devendo sempre passar por um especialista.

Para sua resolução temos que passar por:

a) Levantamento de subsídios para entender melhor os fenômenos;

b) Diagnóstico do ocorrido: causa e efeito da patologia;

c) Solução do problema: método, materiais e mão de obra, e eficácia da solução proposta.

No caso de trincas vivas, é necessário acompanhamento do fenômeno, pois as soluções podem ser de caráter urgente.

Não serão comentadas aqui, neste momento, as fissuras que atingem revestimentos e pinturas. Embora elas tenham sua importância no aspecto da depreciação do imóvel e de sua manutenção, elas em geral não constituem problema de ruptura nem representam risco de colapso das estruturas.

Um capítulo que merece estudo são as construções no ambiente marinho, que justificaria um trabalho a parte, já que além da estrutura, observa-se maior comprometimento de pisos, massas, pintura, alumínios, elétrica etc.



Roberto Boscarriol Jr., graduado em Engenharia pelo Instituto Mauá de Tecnologia. Formado em 1972, atua desde essa época na área da Construção Civil, tendo construído um milhão de metros quadrados nas áreas industriais, comerciais, escolares e residenciais, acumulando grande experiência na análise de propostas e gestão de obras.



Fonte:www.direcionalcondominios.com.br


Você conhece o "Curso a distancia IBDA - CentrodEstudos? Veja os cursos disponíveis, e colabore com o IBDA, participando, divulgando e sugerindo novos temas.

Visite nossa página no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao - Curta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

Patologias em argamassas vão além das fissuras

Como Consertar Rachaduras em Paredes de Alvenaria

Cerâmica Soltando: Diagnóstico, Causas e Recuperação

Patologia na Construção Civil: A permanência de velhos erros em novos contextos

Diferença de fissura e trinca de paredes e como tratar

Patologias causadas por infiltração em edificações

Patologia, Fique atento aos sinais que sua casa dá !

Descolamento de rebocos e pisos

Como lidar com as trincas nas edificações

Retração – Redução de Efeito e Compensação

Falha humana predomina nas patologias do concreto

Patologias em sistemas prediais - Hidráulica

O que é patologia das construções?

Trincas, fissuras, fendas e rachaduras exigem cuidado

Fissuração do Concreto devido às Tensões de Origem Térmica: Como evitá-la?

Patologias em Sistemas Prediais Hidráulico-Sanitários

Patologias na Construção Civil

Vícios e defeitos de construção

Defeitos em edifícios

Defeitos em Edifícios. Quais as causas? Quem é responsável? Como reformar ?

Patologia das Estruturas, qual a sua importância?

Asfalto poroso absorve água e reduz riscos de enchentes

Reforma de casas antigas: substituição de forro de estuque atacado por umidade e cupins