Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

Procobre cria programa de melhoria das instalações elétricas



Antes de iniciar um projeto de reforma, é importante o profissional, seja ele instalador, arquiteto, decorador ou engenheiro, conhecer o histórico da construção, sobretudo aquelas com mais de 20 anos de existência.
O Procobre criou o Programa Casa Segura e fez um levantamento criterioso de estatísticas sobre os riscos com instalações elétricas e, principalmente, como se prevenir de acidentes e desenvolver uma obra segura.

Muitas entidades, empresas e órgãos públicos trabalham intensamente a conscientização de realizar instalações elétricas seguras. Muitas delas realizam trabalhos isolados, os quais visam corrigir o problema. Outras preferem optar pela parceria, a exemplo do que está promovendo um grupo de entidades formado pela Abempi, Abinee, Abrasip, Corpo de Bombeiros, Mapfre Seguros Brasil, Procobre, Qualifio, Secovi, Sindicel e Sindinstalação.

Juntos, idealizaram o “Programa Casa Segura” para orientar o usuário e os profissionais sobre a necessidade de melhorar a qualidade das instalações elétricas, contribuindo para diminuir os riscos de acidentes, valorizar os imóveis e promover a economia energética. Tudo isso baseado no uso racional e seguro da energia elétrica.

O grupo realizou um censo sobre as edificações residenciais em São Paulo, construída há mais de 20 anos, chegando ao número de 16 mil edifícios nestas condições. Desse universo, foi estabelecida uma amostra de 150 prédios para um programa piloto.

O primeiro passo do Casa Segura foi a avaliação das instalações elétricas dessa amostra, realizada por profissionais habilitados, com a emissão de um relatório que orientará os responsáveis pelas edificações sobre a necessidade ou não de se fazer uma ação corretiva ou preventiva, ajudando na tarefa de administrar o condomínio com mais eficiência e melhores resultados. Tal exame abrangeu as condições dos principais componentes da parte comum da instalação elétrica e alguns apartamentos, incluindo entrada de energia, centro de medição, quadro geral de distribuição e de comando de bombas e prumadas.

Check-up predial

O Programa Casa Segura pode auxiliar no esclarecimento de diversas dúvidas, entre elas como avaliar a saúde de uma instalação elétrica. Quando chega o momento de um fazer check-up; e como o desgaste natural atinge as edificações e torna necessária uma análise criteriosa das condições de um imóvel. OU seja, ações que garantem a valorização deste patrimônio e a segurança dos usuários. Em geral, as instalações elétricas de imóveis mais antigos não foram dimensionadas para as atuais necessidades de consumo e muitas vezes estão em estado precário. Por isso, um check-up predial periódico pode ajudar os responsáveis pelas edificações a realizar as corretas práticas de manutenção. Na parte elétrica, a inspeção predial é uma grande aliada na avaliação do estado de um imóvel nos aspectos de desempenho, vida útil, segurança, conservação, manutenção e exposição ambiental.

Avaliações e seus resultados

Um número significativo de edificações pode estar com instalações comprometidas atualmente, em termos de segurança e desempenho energético. Sobretudo construções antigas, em que a manutenção é essencial devido ao desgaste natural dos componentes da instalação e à mudança da necessidade elétrica, que nas últimas décadas foi marcada pelo aumento do uso de produtos eletrônicos. Vale lembrar que estatísticas do Corpo de Bombeiros apontam que as instalações elétricas inadequadas aparecem como a segunda principal causa de incêndio no Brasil.

O panorama das instalações elétricas no País é alarmante, e os usuários precisam ser informados da importância da revisão dessas instalações e da necessidade de manutenções básicas, para garantir a preservação de suas vidas e a integridade do patrimônio.

Os estudos revelaram o seguinte panorama atual:

• Os edifícios, equipamentos e as instalações internas dos apartamentos não cumprem os requisitos mínimos de segurança nas montagens de circuitos e quadros, materiais e dispositivos utilizados.

• Não existem ou são ineficazes os sistemas de aterramento e os condutores de proteção, com risco de choques elétricos nos usuários.

• Os circuitos estão operando em sobrecarga, com as proteções (disjuntores e alguns fusíveis) subdimensionadas e sem atuação real, provocando aquecimento excessivo dos condutores, quadros e conexões e risco de incêndio na instalação.
• Próximos aos circuitos e quadros estão sendo armazenados produtos inflamáveis e utilizados materiais combustíveis.

• Não há o uso de tecnologias mais recentes, como condutores com baixa emissão de fumaça em áreas especiais especificadas nas normas técnicas, e que ajudam a diminuir o número de vítimas em caso de incêndios.

Resultados em Porcentagem

• Falta de condutor de proteção - 98%
• Dispositivo de proteção incompatível com os condutores - 93%
• Falta de dispositivo de proteção residual DR - 98%
• Falta dispositivo contra sobretensões - 100%
• Quadro de distribuição com partes energizadas acessíveis - 79%
• Evidência de aquecimento excessivo dos condutores - 53%
• Quadro com materiais combustíveis - 82%
• Falha no sistema de proteção contra descargas atmosféricas - SPDA (aterramento, descidas, continuidade) - 85%

Está prevista a realização de monitoramento durante o ano de 2006, por meio de novo contato com os edifícios avaliados, para a determinação das ações de reforma ou adequação que foram efetivamente tomadas após o recebimento dos relatórios.

Estatísticas

No Brasil não existem estatísticas atualizadas quanto a acidentes com a rede elétrica. Sabe-se que nos Estados Unidos, cerca de 5 mil pessoas chegam anualmente aos prontos socorros vitimados por choques elétricos e aproximadamente mil casos fatais são creditados anualmente a este fator.

Com a evolução da informática e dos modernos equipamentos que facilitam a vida moderna, o mau uso da eletricidade, as condições precárias das instalações na maioria das residências e um número mínimo de casas e apartamentos que são dotados das condições ideais de aterramento aumentam os riscos.

Dados da Fundação SEADE do Estado de São Paulo revelam que, em 2003, o número de mortes registradas em crianças de 5 a 10 anos por choque elétrico foi de 48, superior aos casos de sufocação e acidentes com ciclistas (38) e praticamente equivalente às queimaduras (54).

Entre incêndios, os dados do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo mostram que, das ocorrências para as quais a corporação é acionada e naquelas em que é possível descobrir a origem real, as causas elétricas representam a segunda contribuição mais importante.

No ano de 2004, ocorreram 37.975 incêndios de diferentes proporções somente no Estado de São Paulo, sendo que em cerca de metade deles não foi possível determinar a causa real. Nos demais casos, as instalações elétricas inadequadas, que acabam causando curtos-circuitos e sobrecargas, só ficam atrás dos “atos incendiários” provocados por vandalismo ou doença mental.

O que o Procobre propõe

1. Implementar um plano de inspeções e reformas das instalações elétricas, de modo que elas disponham dos elementos adequados de segurança.

2. Oferecer aos usuários a possibilidade de atualizar suas instalações de acordo com os novos requisitos técnicos, visando sua segurança e conforto. Essa ação será viabilizada por meio de acordos com entidades de classe e setoriais, empresas concessionárias de energia, companhias de seguros e o poder público, oferecendo subsídios em impostos e taxas e preços especiais para a renovação das instalações.

Normas de Qualidade

O nível de exigências das normas técnicas brasileiras é adequado e está coerente e ajustado às normas internacionais. Infelizmente, não existe mecanismo legal no País que garanta o cumprimento geral das normas e que possibilite uma avaliação sistemática das instalações prediais ou que permita que as concessionárias de energia elétrica exijam qualquer tipo de avaliação prévia das instalações construídas.

O Programa Casa Segura levantou as legislações municipais existentes sobre eventuais incentivos de impostos e taxas para edifícios reformados ou que trate da inspeção periódica das instalações por órgãos municipais ou contratados, como condição para a emissão do “habite-se”. As cidades que já possuem legislação aprovada ou em análise, e que foram pesquisadas, são Curitiba/PR, Ribeirão Preto/SP e Belo Horizonte/MG.

A cidade de Curitiba aprovou seu novo Código de Posturas, estabelecendo a figura do Certificado de Inspeção Predial, com um conteúdo significativo na abordagem das instalações elétricas.

O programa lançou um site na Internet para divulgar a iniciativa e também orientar os interessados sobre entidades que podem ajudá-los a contratar serviços, empresas instaladoras e de manutenção, fornecedoras de materiais e de serviços em geral ou buscar mais informações sobre o assunto. O endereço é: www.programacasasegura.org.br

Prevenção

O Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo informa que a maioria dos incêndios ainda é causada pelo mau uso da rede elétrica das edificações. E recomenda:

• Execute as instalações elétricas conforme a norma NBR 5410 da ABNT (Instalações Elétricas de Baixa Tensão), e nunca provisórias ou precárias (gambiarras), evitando sobrecarga da rede e possível curto-circuito;
• Quando for realizar reparos nas instalações elétricas, procure sempre um profissional habilitado e credenciado;
• Realize periodicamente manutenção preventiva nas instalações elétricas, pois elas possuem vida útil limitada;
• Dê especial atenção a áreas críticas como cozinha e banheiros, uma vez que nesses locais se encontram dois elementos cuja combinação pode ser perigosa: água e eletricidade;
• Não utilize equipamentos elétricos quando estiver descalço ou com pés úmidos;
• Jamais toque em equipamentos elétricos enquanto estiver dentro de banheiras;
• Se um eletrodoméstico dispõe de ligação à terra, utilize-o sempre que a instalação permitir. Se a instalação não possuir o fio terra, instale imediatamente;
• Evite instalar condutores elétricos próximos a chaminés, estufas, aquecedores ou outras fontes de calor;
• Nunca utilize equipamentos ou dispositivos com cabos de alimentação que apresentem danos na isolação elétrica, pinos quebrados ou tomadas danificadas;
• Evite sempre que possível utilizar tomadas múltiplas ou adaptadores do tipo “benjamins”;
• Nunca desligue um equipamento elétrico da tomada puxando pelo cabo de alimentação e sim pelo plugue;
• É conveniente desconectar da tomada os equipamentos portáteis quando não estiverem sendo utilizados;
• Verifique se a potência do equipamento está coerente com a capacidade da instalação existente;
• Quando for executar alguma manutenção na instalação, os dispositivos de proteção (disjuntores) devem estar desligados.

Parceiros do Programa Casa Segura

• Abempi – Associação Brasileira das Empresas de Engenharia de Manutenção Predial e Industrial.
• Abinee- Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica
• Abrasip – Associação Brasileira de Engenharia de Sistemas Prediais
• Corpo de Bombeiros
• Mapfre Seguros Brasil
• Procobre - Instituto Brasileiro do Cobre
• Qualifio – Associação Brasileira pela Qualidade dos Fios e Cabos Elétricos
• Secovi – Sindicato da Habitação
• Sindicel – Sindicato da Indústria de Condutores Elétricos, Laminação e Trefilação de Metais Não Ferrosos do Estado de São Paulo
• Sindinstalação – Sindicato da Indústria de Instalação do Estado de São Paulo

Comentários

Mais artigos

Sobre o Lixo Eletrônico

Erros que comprometem a instalação elétrica de uma residência

Como detectar problemas nas instalações elétricas

5 problemas na rede elétrica que afetam seus equipamentos

A importância da manutenção nas instalações eletricas

Como evitar riscos elétricos na construção civil

Como evitar acidentes com Eletricidade

O que está acontecendo com nosso clima? Descargas atmosféricas e seus efeitos

A importância do projeto elétrico residencial

Com que frequência devemos renovar a instalação elétrica no condomínio?

Dicas de segurança com a energia elétrica

Internet pode trafegar pela rede elétrica

Gravidade do Choque Elétrico

Lâmpadas incandescentes: saem do mercado até 2016

Atmosferas Explosivas - Instalações elétricas - Gerenciamento de Riscos

Por que devemos contratar um eletricista para fazer um Aterramento Elétrico?

Como Prevenir Incêndios Elétricos em Casa

Instalações eletrônicas em ambientes hospitalares.

Aterramento elétrico

Iluminação, introdução aos sistemas de controle

Substituiçao de lampadas incandescentes x fluorescentes

Construção Civil e os Acidentes com Instalações Elétricas

As radiações eletromagnéticas no ambiente doméstico

Folhas luminosas de fibras ópticas superam deficiência dos LEDs

Consumo residencial de energia elétrica cresce quase 8%. Como economizar?

Chuveiro elétrico é mais econômico que aquecedores

Novo padrão de tomada elétrica brasileiro

Aterramento e proteção contra descargas atmosféricas

Plugues e tomadas, Brasil adota padrão

Iluminação em baixa voltagem

Instalações elétricas : Previna seu patrimônio contra danos

Semáforo plano de LEDs é mais leve e reduz custos de instalação e manutenção

Dimensionamento cuidadoso e execução correta garantem instalação elétrica de qualidade

Cobre valorizado no mercado internacional afeta Brasil e incentiva roubo de condutores elétricos e de cargas

Distúrbios elétricos provocam problemas em eletrodomésticos

Procobre cria programa de melhoria das instalações elétricas