Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

por Redação do Fórum da Construção

PAC: Gargalos e tropeços!



Gargalo, como sabe todo apreciador de um bom gole, é "colo de garrafa, ou de outra vasilha, com entrada estreita". Mas é também "obstáculo, empecilho", segundo informa o Aurélio. O primeiro sentido está mais ligado às alegrias da vida. O outro, à atividade própria dos planejadores. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva costuma atribuir a seu governo o resgate do planejamento, uma prática abandonada, segundo ele, por vários de seus antecessores.

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) é apresentado como produto de um governo planejador. Boa parte desse programa continua existindo só no papel, mas isso não impede o presidente de prometer um PAC 2. Ele parece menos familiarizado, no entanto, com o sentido figurado - e administrativo - da palavra gargalo.

O programa de habitações populares, lançado com muito barulho pelo governo federal, está ameaçado pela falta de redes de água e de esgoto. Não se poderá desembolsar o dinheiro, se não houver condições sanitárias básicas nas áreas destinadas às construções. Em má situação financeira, a maior parte das companhias estaduais de saneamento não pode receber dinheiro dos fundos públicos.

O PAC habitacional foi concebido para proporcionar casa a milhões de brasileiros, criar muitos empregos e ativar uma importante cadeia de fornecedores de insumos. Mas faltou pensar no gargalo do saneamento. A Caixa, vai agora cuidar de um plano de recuperação para habilitar as companhias, novamente, a receber financiamento. Mas o problema não é novidade. A crise das empresas de saneamento é conhecido há muito tempo e nenhuma ação foi organizada para a recuperação do setor.

Os gargalos são muito mais numerosos. Na semana passada (fev/10), a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou pela primeira vez um levantamento de conjuntura da construção civil. No trimestre final de 2009, o maior problema apontado pelo conjunto das empresas foi o peso da tributação. Nenhuma novidade nesse ponto. Mas o segundo maior problema foi a falta de mão de obra qualificada.

Essa preocupação foi apontada por 53% das empresas: 48,9% das pequenas, 54,9% das médias e 64,5% das grandes indicaram a falta de pessoal qualificado como o grande problema. No caso das grandes, essa deficiência ganhou mais destaque do que a carga tributária.

A pesquisa é conjuntural, mas o problema não é. A construção civil deixou de ser o grande setor capaz de absorver a mão de obra de baixa qualificação recém-chegada ao mercado urbano. A tecnologia mudou e com isso as necessidades de pessoal também mudaram. Não só o engenheiro tem de ser preparado para as novas condições da atividade. Além de afetar um setor muito importante, essa mudança torna indispensável uma reavaliação do problema da geração de empregos.

Dirigentes da construção civil já haviam apontado, nos últimos anos, problemas de recrutamento de pessoal. A novidade, agora, foi a inclusão do problema numa pesquisa setorial ampla. Noutros segmentos da indústria, a escassez de trabalhadores qualificados fora apontada várias vezes. A própria CNI havia chamado a atenção para o problema em mais de uma ocasião. Mais que isso: executivos entrevistados queixaram-se da falta de pessoal em condições de receber treinamento na fábrica. A falta de qualificação corresponde, antes de mais nada, à mera deficiência da educação fundamental.

Em relação a este problema, o governo federal tem ido raramente além da retórica. Durante anos, o governo do presidente Lula cuidou prioritariamente de criar cursos universitários de utilidade muito duvidosa e de garantir o acesso de mais estudantes ao chamado ensino superior.

Esse tipo de política não garante emprego nem atende às demandas imediatas de uma economia forçada a modernizar-se. Faltaram um diagnóstico realista das carências educacionais e uma aplicação mais eficiente de recursos em programas bem desenhados.

O mesmo baixo grau de realismo explica a persistência de gargalos na infraestrutura. Nos últimos oito anos, o governo federal foi lento na mobilização dos capitais e técnicas do setor privado para promover, por exemplo, a recuperação e a modernização das estradas. Isso decorreu, em parte, de preconceitos ideológicos.

Preconceitos não escoam safras, nem ações populistas criam empregos produtivos.


Fonte:

O Estado de São Paulo - Jornalista Rolf Kuntz


Você conhece o "Curso a distancia IBDA - SitEscola? Veja os cursos disponíveis, e colabore com o IBDA, participando, divulgando e sugerindo novos temas.

Comentários

Mais artigos

Limpeza de primavera prepara a casa para as boas energias da nova estação

A arrasadora componente tecnológica da corrupção das funções de estado

Seriam mesmo exageradas as exigências ambientais?

Como escolher o terreno certo pra construir sua casa

Documentação: o que é necessário saber antes de uma reforma

A importância de Inspeção Predial Periódica

Dicas de construção e reforma

Não esqueça a calçada na hora de reformar

Tenho que reformar, e agora?

Construir uma casa geminada: Boa ideia ou dá problemas?

Oito regras de ouro para poupar dinheiro na construção

Quais os 5 problemas mais comuns na reforma

Cuidados na compra de um imóvel usado

Vai reformar? Locação de galpão é uma opção.

Dicas para organizar a casa antes da reforma

5 vantagens do gás canalizado para sua residência

Como vistoriar o Imóvel Alugado.

Pavimento permeável

A nova perícia e o mercado imobiliário

Como conservar peças de madeira na sua casa

Dicas para reforma e ampliação de residências

Vai começar uma reforma?

Conheça (e fuja) dos erros em construções e reformas

Dez revestimentos fáceis de limpar para diferentes ambientes da casa

Mercado imobiliário: O que você precisa saber antes de comprar um imóvel?

A inclinação do terreno influencia no preço da construção de uma casa?

Nova norma para a regularização de reformas - ABNT NBR 16280

7 sinais de que sua casa precisa de uma reforma

O que é um telhado de treliça de madeira?

Qual a altura ideal para tomadas na parede: em cima, no meio ou em baixo?

Como comprar um lote com segurança: 10 principais cuidados para não ter problemas.

Imóvel na planta sem registro é crime.

Esquadrias na construção civil

Vai reformar a casa? Confira dicas importantes

Como construir duas casas em um lote ou terreno?

Ventilador de Teto: Confira as dicas para não errar na escolha.

As primeiras coisas que deve fazer agora que comprou um imóvel.

Que cuidados tomar ao contratar a mão de obra para uma reforma ou construção?

Dicas para planejar e concluir a reforma sem sofrimento

10 Cuidados para Comprar Terrenos em Loteamentos.

Dezesseis principais riscos em um canteiro de obras

Quais são as diferenças entre os vários tipos de esquadrias?

Recomendações na compra de terrenos

Concreto moderno importa tecnologia da Roma Antiga

Os cuidados que você deve ter ao contratar profissionais para sua obra ou reforma

Tenho que reformar, e agora?

Quem faz o que em um projeto de construção, reforma, decoração ?

Desperdício na obra, como evitar.

Concreto e PVC, um casamento promissor.

Normas para andar de elevador?

Acerte na Escolha do Terreno Ideal

Procedimentos Para Legalizar Uma Obra

Materiais de Construção - Como Comprar?

Quem é o profissional que vai cuidar de sua obra?

Utilização de Elevadores e Escadas Rolantes

Obras públicas: conheça seus direitos

E o terreno? Dicas de construção.

Aspectos legais, dicas de construção.

Projeto, dicas de construção.

A indústria nacional na UTI

Qualidade da acústica começa com a escolha dos tijolos

Portas e janelas de alumínio, como conservar.

Planta Baixa – Traçando linhas e medidas

Regime Diferenciado de Contratações: um erro de proporções olímpicas

Contratar ou não contratar?

Vai ter que mudar? Como planejar e organizar

Sonho da casa própria e suas armadilhas

Vale a pena comprar imóvel por meio de consórcio?

Preocupação estética reduz custos de manutenção em elevadores

Como economizar água e energia elétrica

Comércio, desindustrialização e violência

Avaliação imobiliária : a técnica vencendo a intuição

Documentação do imóvel. O que é necessário na hora da compra?

Arquitetura que cola: obra exigiu nova técnica de construção civil

Na compra de um imóvel usado, saiba avaliar as condições

Copa de 2014: É hora de falar sério, Brasil

Planejando sua construção. Ou, evitando surpresas desagradáveis.

O pior gargalo é o governo

PAC: Gargalos e tropeços!

As catástrofes não avisam, o que fazer frente a isso? - O conceito de Arquitetura Emergencial

Construção civil: Pesquisa mostra otimismo do setor com economia em 2010

11,5 Bilhões. Bondes modernos.

Incompetência para investir.

A Década da Infraestrutura.

Vai construir? Planejando para economizar.

Imóvel na praia: investimento ou despesa?

Água como material de construção

Vai construir? E os aspectos legais?

Vai construir? E o terreno?

Arquitetura brasileira contemporânea: caminhos - final

Arquitetura brasileira contemporânea: caminhos - parte 03

Dicas de construção: Quem contratar?

Serviços de engenharia e as dúvidas dos síndicos

Arquitetura brasileira contemporânea: caminhos - parte 02

Arquitetura brasileira contemporânea: caminhos - parte 01

Construção civil e sua eterna crise

Dicas de construção: e os Projetos?

Dicas para construir a casa dos seus sonhos

Construção confia em excelente 2º semestre.

A Construção Civil e seus Resíduos

Forros: além de decorativos podem ser solução para “aumentar” o pé-direito

Nova lei para elevadores e andaimes