Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

Em Exercício Profissional (veja mais 146 artigos nesta área)

por Eng. Manoel Henrique Campos Botelho

O livro sagrado da Engenharia -- Surpresa! não é aquele que você está pensando.



Aconteceu algumas dezenas de anos atrás. Tinha sido contratado por uma firma de engenharia para dirigir o projeto de uma potente casa de bombas que retiraria água do mar recalcando-a para atender às necessidades de resfriamento de uma siderúrgica. Fui contratado para dirigir e não para desenvolver partes técnicas do projeto, para o que havia, ou melhor, deveria haver e na prática não havia uma equipe de projetistas.
Tão logo assumi a direção notei que na firma não havia um profissional que cuidasse da parte do sistema de combate a incêndio para a elevatória. Esse assunto de combate a incêndio era de meu domínio, sendo Engenheiro Civil Hidráulico, mas o que me deixou preocupado é que as atividades de direção do empreendimento impediam-me de assumir essa tarefa técnica.

Tentei contratar um colega, mas o prazo de entrega dos documentos era tão exíguo que seria impossível contratar um engenheiro numa época de muito serviço e poucos profissionais competentes. Eu mesmo teria que tocar o serviço e o único auxiliar que consegui foi um estudante do quinto ano de Engenharia que, apesar de boa formação, tinha um defeito original: não era a escola em que me formei.

Extremamente preconceituoso, eu achava que fora da minha escola de engenharia pouca coisa poderia ser esperado. Quanta bobagem e preconceito... Disseram-me que o jovem engenheirando era muito bom, quase brilhante. Decidi ficar com ele e verificar se os elogios eram ou não merecidos.

Para isso eu iria submetê-lo a uma série de situações difíceis ou, como diriam os que gostam de sociedades secretas e misteriosas, eu iria iniciá-lo nos segredos herméticos de Minerva, a linda deusa grega que protege a engenharia.

O jovem futuro colega veio para seu primeiro dia de trabalho comigo e cumpriu a primeira condição: ele me trataria com o título de “Senhor Doutor Engenheiro”, mesmo não sendo eu doutor, mas era uma forma de mostrar o que ele deveria esperar. Ele iria viver a experiência de ser um fiel e obediente discípulo que serviria um mestre. Começou a iniciação quando eu dei a primeira tarefa:

-- Para você começar deve me trazer amanhã um exemplar do mais sagrado dos livros da engenharia, só que eu não posso dizer que livro é esse. Seu processo de amadurecimento exigirá que você mesmo descubra e não se incomode com os erros que fará nessa busca do ”santo sagraal“. Assim é a iniciação na engenharia...

O coitado saiu aturdido com a missão e no dia seguinte trouxe-me, algo trêmulo, um livro de Análise Matemática e Cálculo Diferencial e Integral do conhecido autor “Courant”. Assim respondi:

-- Jovem. Esse não é o livro mais sagrado da engenharia, mas seu pecado foi apenas venial, aceitável. Se o seu mestre fosse discípulo do saudoso Prof. Camargo e se você tivesse trazido o livro do Granville eu o demitiria “ad nutum”... Terás direito pois a uma segunda chance. No dia seguinte o coitado trouxe-me um segundo livro e balbuciou:

-- Mestre. Eis uma velha edição do livro de “Resistência dos Materiais” do Timoshenko em tradução do respeitado Prof. Noronha. Se esse não for o livro sagrado da Engenharia que livro poderá ser?

Confesso que ao ver o livro do Mestre Timoshenko, o Engenheiro do Século XX, tremi mas não cedi e continuei o processo de iniciação:

-- Esse livro seguramente é um livro sagrado, tão sagrado como o Courant, mas não é o mais sagrado dos livros. O mais sagrado dos livros está junto a cada um de nós e não percebemos. Mas chega de iniciação. Eu te apresentarei ao mais sagrado dos livros e principalmente te contarei o que nem nele e em nenhum outro lugar está escrito, ou seja, como fazer sua exegese, como interpretá-lo e tirar dele os melhores ensinamentos.

O jovem profissional estava ansioso e eu logo apresentei o livro, pois com todo esse treinamento uma coisa não estava sendo feita, o projeto do sistema hidráulico de combate a incêndio da elevatória. Assim fui até a mesa do telefone e peguei o livro sagrado da engenharia -- a lista de telefones classificada, aquela amarelinha, e comentei:

-- Não há engenharia sem fornecimento de material ou equipamentos. Você deve aprender a usar o livro mais usado da engenharia que é a lista telefônica classificada de fornecedores...

O coitado do engenheirando estava atônito. Nunca tinham dito a ele que uma prosaica lista telefônica fosse um livro sagrado. Mas prestem atenção à aula que dei a ele de como fazer a exegese do texto sagrado e como tirar dela os melhores frutos. Regras:
1) Baseado na lista amarela faça a listagem dos fornecedores de equipamentos de combate a incêndio;
2) Peça catálogos a todos e depois de receber os catálogos estude-os;
3) Estude em outros livros, normas e artigos técnicos procurando ficar em dia com o estado da arte;
4) Depois de tudo isso e com base no material recebido faça um ranking de todos os fornecedores, começando dos piores aos melhores;
5) Entre em contato inicialmente com aquele fornecedor pior qualificado, chame um vendedor técnico e com ele abra o jogo. Declare a verdade, que você nada sabe de combate a incêndio e que precisa comprar. Atenção: use sempre o verbo comprar, um sistema e que para isso você precisa entender como as coisas funcionam. Você ficará surpreso com o que o vendedor técnico lhe ensinará, pois eles são treinados para mostrar e convencer;
6) Chame agora o segundo pior fornecedor e faça a mesma coisa,sempre avisando do seu despreparo no assunto. Esse aviso é fundamental para deixar o vendedor bem a vontade e com isso a conversa corre solta;
7) Chame agora o terceiro pior fornecedor, converse com o vendedor técnico, verá que sua conversa já será algo diferente, e você pode dizer que entende muito pouco do assunto combate a incêndio. Você notará que já dará para dialogar com o vendedor;
8)Volte agora aos livros, normas e regulamentos. Você notará que numa segunda leitura muita coisa antes pouco compreensível agora ficou clara;
9)No processo de ir chamando progressivamente dos piores para os melhores você deve guardar as três firmas que melhor lhe impressionaram pelos catálogos para com eles ter a batalha final.

Comentários ao texto

Um pequeno comentário à interessante crônica do Prof. Botelho. Evidentemente, ela foi escrita, como diz o texto, há algumas dezenas de anos, ou seja, antes da Internet. Atualmente a pesquisa citada para ser feita na lista telefônica pode e deve ser feita principalmente pela Internet, mas ainda há muitas cidades do Brasil onde grande parte dos fornecedores não tem site e muitas vezes nem endereço de e-mail.

Eu, pessoalmente, entendi perfeitamente o que o Prof. Botelho procurou dizer, pois antigamente era importantíssimo fazer uma pesquisa nas Páginas Amarelas, que era o nome que dava então à lista telefônica classificada por setores empresariais. Já fiz muita pesquisa desta forma e endosso inteiramente o texto, ressaltando, novamente, que isto se deu há muitos, muitos anos...

(Nota pelo Arq. Iberê M. Campos)
Ao chamar um dos vencedores técnicos de uma das três firmas comece a conversa já falando termos do jargão do assunto como classe de incêndio e pressões necessárias, mostrando que de alguma forma você conhece a matéria. Apresente o problema que você tem e peça propostas técnico-comerciais detalhadas.

Aí, tendo as propostas dos fornecedores junto com normas e regulamentos oficiais na mão, poderemos fazer o projeto e as especificações.

Assim foi feito. O jovem engenheiro fez o previsto e eu acompanhava. Orientado por mim ele fez um esboço do projeto no qual usou os conhecimentos que aprendera na sua escola de engenharia e mais os que aprendera no processo de iniciação, baseado nas informações do livro sagrado. Revi e complementei o trabalho e o enviei ao cliente.

Esta história terminaria aqui e com final feliz mas eu não posso deixar de contar algo que aconteceu no final do trabalho. Eu estava ensinando o neófito quando este fez uma pergunta que denunciava o bom nível do jovem:

-- Mestre,como posso separar o joio do trigo? Se os vendedores são treinados para mostrar com alta eficiência as coisas e nos ensinar a como usar seus equipamentos, todavia eles não são filhos de Minerva, que é pura e ética nas verdades. Os vendedores são filhos do deus Mercúrio, deus dos negócios, e como sabemos da mitologia grega o conceito de Mercúrio é algo assim duvidoso. Mercúrio é meio embrulhão, maroto, para dizer o mínimo... Como então saber a verdade diferenciando-a da propaganda interesseira?

Aliás este discípulo amplia a pergunta ao seu mestre:

-- Como saber a verdade na engenharia e também na vida?

Pensei em dar uma resposta genérica, pois mestre que é mestre tem sempre que dar respostas, mas procurei ser honesto e humano e confessei que essa não era tarefa fácil, que deveríamos prestar atenção a tudo,conversar com outros colegas, trocar experiências. Mas confesso que não tive resposta perfeita para responder a tão difícil questão. Humildemente passo a pergunta aos meus fiéis leitores --

-- Como saber a verdade na engenharia e na vida?

Aceito e publicarei as respostas que receber, mesmo que sejam respostas da parte mais fácil da pergunta:

-- Como saber a verdade na engenharia?

Texto publicado sob permissão do autor:

Manoel Henrique Campos Botelho
Eng. Civil e autor do livro Concreto Armado Eu Te Amo
Email: manoelbotelho@terra.com.br
Cx. Postal 12.966 -- CEP 04009-970 -- S.Paulo SP

Comentários

Mais artigos

Principais Dificuldades de um Arquiteto sem Renome ou Iniciante

O buraco é mais em cima.

Arquiteto ou Engenheiro?

Tempo integral

Metáfora futebolística - A preparação física

21 dicas para uma vida bem sucedida na arquitetura

Dez coisas que aborrecem o cliente do engenheiro e do arquiteto depois da prestação do serviço

Dez coisas que aborrecem o cliente do engenheiro e do arquiteto durante a execução do serviço

Dez coisas que aborrecem o cliente do engenheiro e do arquiteto durante a negociação do serviço

Indicadores de desempenho nos escritórios de arquitetura e de engenharia

Como ser um engenheiro civil de sucesso.

Se o seu escritório fosse um time de futebol, em qual divisão ele estaria jogando?

Dia do Arquiteto. Dia do Engenheiro : Profissionais que transformam sonhos em realidade

O buraco é mais em cima.

E o que faz o profissional da arquitetura de TI?

Conheça o perfil do Engenheiro para o mercado de trabalho

Como estar preparado para o primeiro contato com o cliente?

A importância da Engenharia para a sociedade e para o Brasil do século XXI.

Qual a importância do arquiteto?

Como Se Tornar um Arquiteto

Crise. Segundo Einstein.

Engenheiro ou arquiteto, qual devo contratar para o projeto de casa

Possibilidades na carreira para arquitetos

Por que é tão difícil?

Os 10 mandamentos de marketing para engenheiros e arquitetos

Quem é o engenheiro civil?

Tempo integral

Dicas para desenvolvimento profissional

Cliente e arquiteto: os dois lados da moeda

A delicada relação cliente-arquiteto

Carta a um calouro (de arquitetura ou de engenharia)

A Profissão de Arquiteto

O que é Engenharia de Software?

Tabela de Honorários

Como e quanto os arquitetos cobram pelo seu trabalho?

Arquiteto, designer e decorador: sem preconceitos

Vantagens de estar desempregado (ou não) durante a seleção

Sucesso + Engenharia = Realizaçao profissional

6 ideias que podem mudar sua sina na entrevista de emprego

A responsabilidade profissional e o ser humano

O Mito da Criatividade em Arquitetura

Vantagens da Contratação de um Profissional Especializado

Diferença entre Arquiteto, engenheiro civil e designer de interiores

7 aspectos para começar e construir uma carreira em arquitetura ou design .

Quer ser um engenheiro de sucesso? Seja um engenheiro criativo.

O caminho de volta

O valor do profissional brasileiro

Contratação por projeto executivo define a obra

Inteligência Emocional: Conheça características do líder moderno

A importância do Planejamento no Papel

Atribuições do arquiteto

Lelé: cidades como São Paulo são Frankensteins.

Engenharia Nacional e a Competitividade Brasileira

A corrupção e a garantia quinquenal de obras

Como ser um empreendedor de sucesso

Sociedade entre Arquitetos: A construção em grupos de pesquisa e preço competitivo no mercado da construção

Trabalhar em casa: um bom negócio

Trabalho em equipe, 10 dicas para que isso aconteça.

Promiscuidade entre estado e governo: o vórtice do mal.

O “irresponsável técnico” da engenharia, arquitetura e construção

Arquitetos voltados a Decoração

2.012 – Importante ano para as Entidades de Classe do Sistema Confea/CREAs

Como produzir (provocar) a propaganda boca-a-boca

Os arquitetos e as cidades

Por que é que a gente é assim?

Profissionais da Engenharia, Arquitetura e Construção do 3º milênio

Qual é o valor da minha hora-técnica? Como calculo isso?

O arquiteto como administrador de obras: vamos unir o útil ao agradável!

A falta de planejamento das pequenas empresas na construção civil

As previsões de Nostradamus, e a vergonha da Copa de 2014?

Porque o arquiteto deve fazer a administração de obras

Arquitetos de Cozinha

Conselho de Arquitetura e Urbanismo foi aprovado. O que muda?

Curso de Marketing e Vendas para arquitetos

O exercicio profissional e a sustentabilidade das profissões: uma abordagem mercadológica - 3ª parte

O exercicio profissional e a sustentabilidade das profissões: uma abordagem mercadológica - 2ª parte

O exercicio profissional e a sustentabilidade das profissões: uma abordagem mercadológica - 1ª parte

Sociedade entre Arquitetos: A união, normalmente, faz a força!

Em dois meses, construção civil cria quase 102 mil novos empregos

Arquiteto ou arquiteta? Quem é melhor?

O Brasil preparado para crescer...Será???

O Brasil é um país de oportunidades para engenheiros...

Governo planeja construir nova rodovia Rio-Santos

Construção civil, após a crise, deve bater recorde de geração de empregos.

O acidente no Rodoanel e as boas práticas da engenharia

Obras públicas e a responsabilidade do sistema CONFEA/CREAS perante a nação! Final.

Obras públicas e a responsabilidade do sistema CONFEA/CREAS perante a nação! - 1ª parte.

O desabafo de um arquiteto

Relação arquiteto e cliente: um jogo de xadrez deveras complicado!

O IBDA também está no TWITTER

Lei federal exige específicamente a ART de orçamento

Os US$ 5 trilhões do G20 solucionarão a crise?

O principal documento para o trabalhador, não tem segunda via.

Lei de licitações e a polemica dos critérios de menor preço

Varejo de material de construcão deverá crescer 8,5 % em 2009 no Brasil.

Oferta de trabalho para 5.563 arquitetos e engenheiros

Orçamentos estimativos sem identificação de autoria pode anular licitação pública.

Lei de Licitações : O país precisa rever a Lei Nº 8666/93

Licitação por pregão : Carta aberta ao Senador Eduardo Suplicy

Irrigar a economia real sem custos extras

Relacionamento Entidade de Classe x Prefeitura... Parceria, Guerra ou Indiferença...

Resistência dos Materiais - Treliça Hipostática

Proposta de Política Industrial para a Construção Civil

Crises e Oportunidades

O TAC no contexto do direito ambiental

Vai montar seu canteiro de obras? Atente para alguns detalhes da norma

Maquete eletrônica – parte 1

Segurança em trabalhos com eletricidade

Como ter segurança em trabalhos com eletricidade

Em busca do tempo perdido

Antoni Gaudí, um arquiteto sonhador?! (Barcelona, 1852-1926)

Arquitetura Antroposófica: as artes plásticas e o desenvolvimento da alma humana

Os CREAs e o IPTU que as Prefeituras querem cobrar...

Zaha Hadid – uma arquiteta orgânica. Gosta de construir descontruindo.

É preciso recompor a arquitetura e a engenharia brasileiras

Quem tem medo de Oscar Niemeyer?

A Liderança Empresarial e a Sustentabilidade

O verdadeiro papel das entidades de classe.

Relação aberta, gol na certa!

O uso da medida grado na Geometria e a Historia Militar Brasileira - Aspectos de unidades de medida

Maquetes Eletrônicas

Eu compro imóvel na planta

Infiltração e drenagem - os temas da Maccaferri no Fórum da Construção

Engenharia de Avaliações

Oportunidades para o setor da construção no Golfo Arábico

CPMF

Táticas para pedir (e conseguir) aumento de salário

Obras e serviços de Engenharia não podem ser licitados por pregão !

Supersimples na construção civil: vale a pena aderir?

Proposta de projeto : a difícil negociação entre o arquiteto e o cliente,

A importância de contratar um Arquiteto e como proceder

Dúvidas mais comuns em relação ao registro de empresas no CREA-SP

Enigma estrutural: Teste estático versus teste dinâmico, ou Como Testar Uma Laje de Salão de Baile

O livro sagrado da Engenharia -- Surpresa! não é aquele que você está pensando.

Pensamentos da Engenharia

Imóvel, alternativa de aposentadoria

Honorários de engenharia : Como é difícil receber !!!

A.R.T. - Acervo e defesa do profissional

Orientação de um velho Engenheiro de Barbas Brancas a um jovem engenheirando sobre um estágio de férias

Aspectos matemáticos e humanos da corrente da felicidade

Invista no Arquiteto!

São Paulo, um gigantesco campo de trabalho para a Arquitetura

Como fazer a retificação de área no Registro de Imóveis

Espanhol cresce como ferramenta de trabalho!

Perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego(3/3)

Procedimentos em uma entrevista de emprego (2/3)

Preparando-se para uma entrevista de emprego (1/3)