Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

Em Gerenciamento de obras (veja mais 24 artigos nesta área)

por Engº. Alessandro Koliski

Cuidados ao gerenciar sua obra



Desde a escolha do terreno até a execução da obra, a construção deve ter planejamento e organização adequados, de forma a otimizar os custos. Existem alguns cuidados que devem ser levados em conta antes de iniciar uma obra, afinal cada etapa requer cuidados específicos. Veja resumidamente algumas dicas:




Terreno

Escolha, de preferência, um terreno plano, pois isso representará grande economia com deslocamento de terra, fundações e estruturas de concreto, além de eliminar os custos com contenções de arrimo.

Não inicie as obras de terra como terraplanagens e cortes antes dos projetos de arquitetura e estrutural estarem prontos e sem a orientação de um engenheiro, pois isso pode ocasionar perda de tempo e dinheiro com serviços desnecessários. O projeto arquitetônico é fundamental para tirar proveito da topografia e dos acidentes naturais do terreno e assim realizar um projeto adequado para ele.


Projeto

É indispensável investir na contratação de um engenheiro civil, para que se tenha um projeto bem elaborado. Os erros durante a execução que podem ocorrer pela ausência de projetos representam custos elevados.

Esteja preparado para diversas reuniões com engenheiro e arquiteto da obra, fornecendo todos os detalhes de sua vida diária e hábitos, de maneira que o projeto seja bem adaptado ao seu estilo de vida. Projetar cômodos especiais, como piscina ou sala de ginástica, por exemplo, somente são viáveis economicamente se forem usados, de outra forma irão encarecer a construção.

Revisar o projeto e esclarecer todas as dúvidas até o fim é um bom procedimento. É muito mais fácil e barato solucionar erros e pedir mudanças na fase do projeto do que durante a obra.

Não esqueça que o projeto deverá ser aprovado pelos órgãos competentes (Prefeitura, CREA, etc.) antes de iniciar qualquer movimentação na obra.


Planejamento

Após o projeto estar completamente definido é necessário um planejamento da obra: elabore uma planilha em conjunto com o profissional responsável pela obra para registrar a ordem de execução dos serviços e duração e custo de cada fase. Isso evita gastos com mão-de-obra e/ou materiais não necessários no momento.

O fluxo de caixa dever ser controlado para não correr o risco de parar a obra por falta de dinheiro. É importante anotar na planilha todos os gastos e, além disso, guardar sempre recibos e notas fiscais, pois eles serão úteis para declaração dos Impostos e para eventuais problemas legais.

Ainda deve-se anotar na planilha, mesmo que os materiais de acabamento ainda não tenham sido escolhidos, especificações dadas por quem fez o projeto, como tamanho, espessura, tonalidade, classe de abrasão e nível de absorção de água das cerâmicas, o mesmo valendo para outros ítens, como madeira e carpete. Isso economiza tempo na hora de pesquisar e comprar.

Contratação de mão-de-obra

A preferência deve ser por profissionais conhecidos ou indicados por amigos ou parentes. É indispensável verificar alguns trabalhos já realizados pela equipe e pesquisar com os contratantes como foi a qualidade do atendimento e do processo construtivo contratado.

Uma outra dica é determinar uma forma de pagamento baseada na produção, estabelecendo assim que o pagamento da mão-de-obra ficará condicionado ao cumprimento de determinadas etapas e prazos. Deve-se formalizar tudo através de contrato.

Vale a pena consultar órgãos competentes como, por exemplo, a Defesa do Consumidor para verificar a idoneidade do construtor e da empresa que ele representa.

Compra de materiais

Na compra de materiais, realize orçamentos em lojas de materiais de construção e dependendo do tamanho do empreendimento, vale a pena consultar diretamente os fabricantes. A pesquisa deverá levar em conta os parâmetros estabelecidos pelo profissional que elaborou o projeto, tentando achar a melhor relação entre qualidade e preço (não esquecendo que, além do custo de construção, há também custo de manutenção, ou seja, materiais de baixa qualidade só serão economia a curto prazo).

Uma dica importante neste item é, se possível, fechar um pacote para a compra de uma grande quantidade de materiais numa única loja e, assim, negociar um desconto ou o pagamento a prazo. A pechincha é regra básica.

Na parte de pisos e azulejos, considere uma margem de aproximadamente 10% a mais nas quantidades do projeto para cobrir quebras e consertos futuros.

Os materiais adquiridos deverão ser de qualidade para não comprometer a durabilidade do empreendimento. Uma boa dica é adquirir produtos somente com selo de qualidade e de fabricantes certificados por órgãos competentes que garantam todo o processo de sua produção.

Estocagem de materiais

Deve-se sempre observar o prazo de validade dos materiais. Uma regra básica é que o produto que está no estoque há mais tempo, deverá ser o primeiro a ser consumido.

A armazenagem deverá obedecer ao cronograma da obra, pois uma quantidade grande e na hora errada atrapalha o fluxo da obra, bem como gera gasto desnecessário.

Os materiais devem estar protegidos da chuva, vento e outras intempéries. Siga a regra de estocagem estipulada pelos fabricantes, geralmente presente na embalagem dos produtos.

Execução da obra

Apesar de existir um planejamento e comprometimento entre contratante e contratada, exija organização no canteiro de obras. Bagunça, entulhos, ferramentas e materiais desorganizados, tábuas com pregos, etc. são sinônimos de desperdícios, acidentes e custos elevados.

A execução da obra deve ser acompanhada diariamente pelo engenheiro responsável e contratado para esse fim. Qualquer erro na execução dos serviços pode resultar em custos elevados e atraso no cronograma da obra.

O projeto deve ser seguido à risca. Qualquer alteração deverá ser comunicada ao engenheiro residente, que verificará a possibilidade da alteração sugerida.

Planejamento, comprometimento e qualidade são a regra básica. Se todos os envolvidos no processo de construção tiverem consciência destes requisitos, o empreendimento, seja ele de pequeno, médio ou grande porte, será concluído com sucesso.




Fonte:www.cimentoitambe.com.br





Visite nossa página no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao - Curta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

Dicas para planejar bem a obra

Como fazer o gerenciamento de obras

10 dicas para planejar e concluir uma reforma sem sofrimento

Como aumentar a segurança dos trabalhadores em uma obra

Como gerenciar sua obra de maneira mais tranquila

Gerenciamento de obras: 5 processos para melhorar

Que cuidados tomar ao contratar a mão de obra para uma reforma ou construção?

A crise da engenharia de projetos no Brasil

Construção Civil: Vantagens do gerenciar obras

Os benefícios do gerenciamento de obras

A Viabilidade da Mecanização na Construção Civil

Gerenciamento e fiscalização de contratos

Gerenciamento de equipes de trabalho

Gerenciamento de Projetos e Obras

Cuidados ao gerenciar sua obra

A obra atrasou, e agora?

Gerenciamento de Obra: agilidade e sincronia das equipes são os maiores desafios, “porque o tempo não para”!

Alcoolismo no canteiro de obras é perigo iminente

Obra parada, resultado da falta de planejamento e de administração

Será que o Custo Unitário Básico (CUB) serve realmente para orçar uma construção?

Reforma de casa ou apartamento requer planejamento, bons profissionais e diplomacia

Critérios de medição em obra

Medição de vidros e a eterna questão do custo versus preço

Compra de terreno para construção: o que é importante?

Matec Engenharia apresenta Sistema de Gestão de Planejamento