Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

por Arq. Ignez Ferraz

Pisos frios: como usar e o que evitar na decoração



Pisos frios são bastante apropriados para o nosso clima. Por isso mesmo existem muitas dúvidas sobre a melhor utilização dos diversos tipos existentes no mercado – de pedras naturais às cerâmicas, de compostos aos ladrilhos hidráulicos. Abaixo transcrevo respostas exemplificadas para as dúvidas mais corriqueiras:

1-Quando optar por pisos frios em ambientes internos (salas, quartos, halls, etc)?

- Em cidades com o clima do Rio todos os ambientes podem utilizar o piso friodo hall aos quartos.
- Em apartamentos pequenos ou flats, a mesma especificação em toda a área é bem vinda.
- Em banheiros de área reduzida, cerâmicas de 10x10 cm, pastilhas (e a mistura delas) ou ainda retangulares estreitas com aspecto “vintage” são um charme.
- Outra interessante solução é o uso de filetes de mármore - compre o “refugo” mais barato, corte e misture.
Esta também é boa opção para as cozinhas. Peças de granito de diferentes formatos (em tonalidades escuras) incrustadas em placas maiores podem formar um desenho original.

2-Quais os cuidados que devem ser tomados?
- Cerâmicas (20x20cm, 30x30cm) e porcelanatos (45x45cm, 45x60cm, rústicos ou brilhantes) podem ser utilizados em placas menores, proporcionais ao tamanho e aparência do cômodo.
- Pedras nobres como mármores e granitos ou seus equivalentes compostos (limestone, silestone) ficam bem em placas grandes (50x50cm ou 60x60cm os naturais, até 100x100cm os compostos) e ambientes mais ricos. Se possível, dimensione-as para não haver corte e compatibilize o restante do projeto por essas medidas.

- O solarium é um caso a parte, pois mesmo sendo rústico fica elegante em maiores dimensões. Mas MUITO cuidado na colocação e manutenção, pois mancha facilmente, ao contrário dos outros materiais.
- Os revestimentos brancos ou off-white como pedras S.Tomé tipo quartzito devem ser assentados com cimento branco para não escurecerem com o tempo. Resinas também devem ser aplicadassobre eles, com exceção das áreas molhadas, como piscinas. A combinação dos dois acabamentos fosco e brilhante - se integra bem numa cobertura.

3 - Como harmonizar pisos frios com outros elementos da decoração? Tapetes
- Pequenas passadeiras ao lado da cama quando o quarto do casal possuir piso frio pode ser uma boa solução para a hora de se levantar.
- Entretanto, na Sala de Jantar ou em qualquer área de refeições não é tão prático.
- Já no living algumas vezes é importante para “amarrar” os diversos setores, sempre em harmonia com a grandeza do piso: tapetes persas sobre pisos nobres; com outros pisos conjugue nylon com desenhos geométricos ligeiros, artesanais mesclados com fibras ou placas de couro. Todos eles aquecem o ambiente.
Móveis:
- Como o piso frio nos remete à ambientes arejados e ensolarados, o mobiliário não pode ter aspecto “pesado” ou tecidos muito encorpados. Se o revestimento for escuro, como a ardósia, quase sempre um tapete claro sobreposto “levanta” os móveis e ambientes.
- Sofás e poltronas, de preferência “soltos” do chão com pequeninos pés.
- Mesas de centro com tampo de madeira não requerem um tapete sob elas, mas em vidro pode ser necessário. FLAT Merche (hor.)

4 - Quais os cuidados ao escolher pisos com motivos trabalhados?
- Cuidado com os pisos decorados, que podem “prender” muito o ambiente. Como pisos são revestimentos definitivos deveriam ser os mais neutros possíveis, para compor diversas decorações.
- Ladrilhos hidráulicos estampados (em toda a superfície, apenas salpicados ou como “tabeira”) podem ficar bastante simpáticos em lavabos, pequenas cozinhas ou jardins de inverno – neste caso os móveis de junco cairão como uma luva. Aliás, os modernos ladrilhos hidráulicos (20x20cm) em tons lisos são charme puro!
- Desenhos quadriculados em dois tons de cerâmica ou mármore podem substituir o tapete.

5 - O que evitar? Evitaria cerâmicas estampadas ou mesmo “imitando” texturas como mármore e madeira.
Mármore é mármore, madeira é madeira, e cerâmica é cerâmica – parece óbvio, mas não é!

Mais informações no site da arquiteta Ignêz Ferraz - www.ignezferraz.com.br

Comentários

Mais artigos

Confira as vantagens e desvantagens do piso de Mármore

Como escolher o piso ideal para a sala

Cuidados para limpar e conservar bancadas de granito

Pisos para apartamento: como escolher o modelo mais adequado para o seu uso

Acabe com as dúvidas sobre o piso da cozinha

Por que utilizar o piso vinílico?

Porcelanato preto, branco, cinza e travertino.

Dicas para evitar erros na instalação do piso vinílico

As vantagens no uso do piso vinílico

Piso vinílico facilita uso de madeira na decoração de banheiros e cozinhas

Pisos de madeira de demolição: como escolher.

Um novo ambiente? Pisos vinílicos, a solução ideal

Pisos vinílicos: práticos de aplicar e de usar

Dicas para manutenção de pisos

Piso cerâmico, o que usar em casa?

Revestimentos vinílicos para área molhadas, a solução da Tarkett

A praticidade e o design do Piso Vinílico

Como decorar o quarto do seu bebê. Qual o piso e outras dicas.

Soluções em pisos vinílicos para ambientes esportivos e hospitalares

Olhos atentos no chão, inovando com pisos vinílicos.

Pisos vinilicos unindo sonho e fantasia

Parece madeira, mas é piso Fademac

Pisos vinílicos auxiliam na questão da humanização hospitalar

Fademac cria hot site para linha ABSOLUTE

Pisos sustentáveis: Você sabe onde se está pisando?

Pisos vinílicos : Quando valorizar a imitação significa respeitar a natureza

Pisos vinilicos : um novo olhar!

A importância do contrapiso para a colocação de pisos vinílicos

Dúvidas mais comuns em relação aos pisos vinílicos

Pisos frios: como usar e o que evitar na decoração