Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

por João Ricardo Spagnollo

Impermeabilização : áreas diversas - 2



Continuamos a destacar a impermeabilização em áreas específicas, destacando as seguintes : Manta Elastomérica, Manta Asfáltica, Argamassa impermeável (Rígida), Compatibilização de Projetos.

Manta Elastomérica

Embora este seja o sistema de maior longevidade, exige mão-de-obra muito melhor treinada e uma conscientização também maior por parte de todos os colaboradores da obra. Sua espessura mínima de 0,8mm exige este grande cuidado, chegando a ponto da necessidade de isolamento da área até que já tenha sido aplicada a proteção mecânica. Esta proteção mecânica também deve ser feita pela equipe de impermeabilizadores. Todo e qualquer operário que precisar transitar por sobre a manta, deverá fazê-lo descalço, devendo ser proibido o uso principalmente
de botinas.
Caso queira-se testá-la, só se pode por a água após 24h da aplicação. Este é o tempo de reação total do adesivo com a fita de caldeação.
A manta elastomérica é aplicada solta sobre a laje. Este sistema é chamado de sistema flutuante de impermeabilização. Ele tem o inconveniente de, no caso de um vazamento, a água "caminhar" por baixo da manta por longas distâncias, dificultando a localização do vazamento.
Sua aplicação é feita da seguinte maneira:

1 – Regularização
- Limpeza da laje na área a ser impermeabilizada
- Verificação dos elementos que virão a interferir na impermeabilização
- Verificação de corpos estranhos na superfície da laje. Ex. restos de madeira incrustados no concreto, arames e outros.
- Aplicação de argamassa de cimento e areia no traço 1:3, com espessura mínima de 3cm.
- Caimento de no mínimo 1% para os ralos
- Arredondamento dos cantos (normalmente se usa a lateral de uma garrafa)
- Cuidar para que a superfície regularizada fique tão lisa quanto uma argamassa permita. Uniforme e homogênea para receber a manta sem traumas

2 - Aplicação do primer
- O primer é uma pintura de base asfáltica
- A superfície deve estar totalmente seca
- O primer é aplicado a rolo de lã ou brocha, em uma única demão
- Consumo de aproximadamente 0,3 litros por metro quadrado
- Aguardar 24 horas após a aplicação do primer para a aplicação da manta

3 – Aplicação da manta
- Isolamento da área para impedir que operários não pertinentes aos serviços de impermeabilização transitem ou causem danos ao processo
- Verificação dos elementos que virão a interferir na impermeabilização. Ex. afastamentos adequados de dutos em relação às paredes
- Conferência da presença de todos os elementos, a fim de evitar ferimentos posteriores
- Verificar as especificações de projeto
- Dispor os rolos de manta no sentido longitudinal da aplicação, atentando para o esquadrejamento
- Fazer arremates nos ralos e outros elementos vaza‐manta
- Inserir dentro dos ralos uma seção de tubo de PVC de 3 cm com um corte vertical. Este anel tem a finalidade de não deixar a manta descolar do cano
ATENÇÃO: A reação química no momento de vulcanização do material elastomérico libera gases tóxicos. Em locais fechados como em reservatórios exige-se o uso de equipamento insuflador.

Manta Asfáltica

O principal cuidado a ser tomado em sua aplicação, é de conscientizar o aplicador de que o maçarico (usado na fusão das mantas) não pode aproximar e ficar exposto à manta em um mesmo local por muito tempo para não ocasionar ruptura do véu estrutural localizado dentro da manta, danificando-a. Vários fatores são levados em consideração para se julgar o ideal para isso, pressão de saída no bico do maçarico, resistência do asfalto, temperatura do ambiente, entre outros.
Uma boa dica dada pelos bons operários é que o asfalto deve apenas derreter e se nota a ruptura da estrutura da manta se a superfície parecer que "fritou".
Sua aplicação é feita da seguinte maneira:

1 – Regularização
- Fazer rebaixo de 15 cm na borda dos ralos com profundidade de 4 mm.
- Limpeza da laje na área a ser impermeabilizada.
- Verificação dos elementos que virão a interferir na impermeabilização.
- Verificação de presença de corpos estranhos na superfície da laje. Ex. restos de madeira incrustados no concreto, arames e outros.
- Aplicação de argamassa no traço 1:3 de cimento e areia.
- Caimento de no mínimo 1% para os ralos.
- Arredondamento dos cantos (normalmente se usa a lateral de uma garrafa).
- Cuidar que a superfície regularizada esteja tão lisa quanto uma argamassa permita. Uniforme e homogênea para receber a manta sem traumas.

2 - Aplicação do primer
- O primer é uma pintura de base asfáltica.
- A superfície deve estar totalmente seca.
- O primer é aplicado a rolo de lã ou brocha, em uma única demão.
- Consumo de aproximadamente de 0,3 l/m².
- Aguardar 24 h após a aplicação do primer, para aplicação da manta.
- Toda área a ser impermeabilizada deve receber essa camada de primer

3 - Aplicação da manta
- Isolamento da área para impedir que operários não pertinentes aos serviços de impermeabilização transitem ou causem danos ao processo.
- Verificação dos elementos que virão a interferir na impermeabilização. Ex: afastamento adequado de dutos em relação às paredes.
- Conferência da presença de todos os elementos, a fim de evitar ferimentos posteriores.
- Verificar as especificações de projeto.
- Dispor os rolos de mantas no sentido longitudinal da aplicação, tomando o cuidado com o esquadrejamento. Fazer arremate nos ralos e outros elementos vaza-manta.
‐ Inserir dentro dos ralos uma seção de tubo de PVC de 3 cm com um corte vertical. Este aneltem a finalidade de não deixar a manta descolar do cano.

Argamassa impermeável (Rígida)
Sistema feito a partir da adição de produtos químicos na argamassa.
Este sistema só é recomendado para locais totalmente protegidos de oscilações térmicas, pois, por ser de origem posolânica, trinca junto com a estrutura.
Exemplos de locais que podem receber este sistema:
- Cortinas de subsolos sem problemas de afloramento do lençol freático
- Reservatórios subterrâneos
- Piscinas enterradas
Assim como sabemos o quão importante é se concretar uma laje de uma vez só, a aplicação da argamassa impermeável só tem sua eficácia se for aplicada continuamente. E em duas camadas, para que as fissuras naturais de cada uma não coincidam.
Existe uma gama muito grande de sistemas e produtos de impermeabilização rígida. Inclusive pintura acrílica, grafiatos e texturas são consideradas impermeabilizantes, mas consideramos aqui os sistemas que visam sanar infiltrações mais graves do que apenas umidades em paredes advindas de chuva do lado externo.

Compatibilização de Projetos

Atualmente é comum vermos uma edificação com 15 ou 20 escritórios parceiros projetando os mais diversificados detalhes.
A impermeabilização tem sido deixada de lado muito mais do que deveria.
Como dissemos antes sobre a conscientização dos operários participantes da obra, precisamos também conscientizar os mentores do projeto.
A necessidade do sulco no concreto da platibanda ou nos pilares do térreo é evidente, mas será que o calculista prevê isso?
A camada impermeabilizante em uma laje de cobertura não tem uma espessura tão irrelevante a ponto de não se prever o rebaixo da laje no projeto, mas isso acontece sempre.
O projetista de hidráulica não tem consciência de que seus tubos precisam dos recuos necessários para uma manta passar por trás.
O arquiteto autor do projeto de paisagismo nem sempre tem consciência de como será resolvida a impermeabilização de sua solução dada a uma floreira.
Em vários casos isso pode parecer utopia, mas precisamos nos esforçar mais e mais para que todos os projetos sejam intrínsecos e consigamos cada vez mais pôr ordem na torre de babel.
Os detalhes só serão deixados de lado enquanto olharmos para eles como apenas detalhes.
Preocupações como todas as citadas neste texto, são inadiáveis e suas soluções são fundamentais para uma obra mais barata, de melhor qualidade, entregue em menor prazo e um cliente muito mais satisfeito.

Comentários

Mais artigos

Impermeabilização em paredes: como fazer para acabar com a infiltração

Como identificar e resolver problemas de infiltração

Infiltração e umidade nas paredes? Como solucionar?

Como proteger um muro contra infiltrações e umidade?

Impermeabilização em Light Steel Frame

Impermeabilização de paredes

Saiba como evitar infiltrações na sua casa

Impermeabilização: dicas básicas para excelentes resultados

Como impermeabilizar laje – Dicas e vantagens na aplicação

Parede com umidade e infiltração, como resolver?

Dicas de construção: umidade do solo e impermeabilização

O que é impermeabilização?

Importância da impermeabilização para a sustentabilidade das edificações

Sistemas de Impermeabilização na Construção Civil

Trocas de mantas: Frequente engano.

Impermeabilização: dicas básicas para ter excelentes resultados.

Impermeabilização de cimento na construção

Manifestações Patológicas na Impermeabilização de Estruturas de Concreto em Saneamento

A importância da profissionalização de mão de obra na impermeabilização

Impermeabilização : áreas diversas - 2

Impermeabilização: áreas diversas

Impermeabilização : Coberturas transitáveis por pedestres e veículos.

Impermeabilização : Coberturas não transitáveis

Impermeabilização na construção : um assunto sério.

Tratamento das áreas molháveis com paredes em gesso acartonado

Incrustrações em piscina impermeabilizada com manta asfáltica

Impermeabilização: saiba quando e como aplicar seus benefícios

A importância do projeto de impermeabilização