Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

Em Retrofit e Restauração (veja mais 30 artigos nesta área)

por Fernando Francisco do Nascimento

Patologias da construção civil. Elas existem!



O que é patologia da construção? O que é uma construção doente? Como se prevenir contra as doenças da construção. Essas e outras dúvidas, esclarecidas pelo especialista da área, Fernando do Nascimento:


Hoje está se utilizando a expressão “patologia da construção civil”. Patologia é o estudo da doença. O que é uma construção doente?

Construção doente é aquela onde trincas e fissuras se apresentam no revestimento argamassado (reboco) e, consequentemente, mofo e bolor. E existem outras doenças nas construções que não estão visíveis, mas têm estreita ligação com a umidade.

Quais os tipos mais comuns de infiltrações?

Pelas intempéries: água de chuva que penetra nas edificações através das fachadas ou coberturas não impermeabilizadas ou com falhas de projeto ou de execução.
Condensação: Pelos vapores de água que penetram numa residência através da fachada ou da cobertura, formando gotículas de água nos vidros, paredes e revestimentos cerâmicos. O box do banheiro é o local da casa onde essa umidade ocorre com frequência diária pelo uso do chuveiro quente e normalmente ocorre mofo no teto do box e nas paredes próximas.
Capilaridade: Pela umidade ascendente que vem do solo, sobe pelo alicerce e é absorvida pelos rodapés das paredes, atingindo alturas diversas. Essa é a patologia mais comum de se observar nas residências.
Há também as infiltrações pela penetração direta da água para o interior das edificações através das paredes. Geralmente ocorre em obras construídas encostadas em barrancos ou em paredes construídas abaixo do lençol freático.

Como estancar as infiltrações? Esse processo pode ser feito de forma caseira, ou em todos os casos há necessidade de chamar um técnico?

Não há necessidade de chamar sempre um técnico, mas também a solução não pode ser caseira. Há necessidade de chamar um profissional capacitado para executar o trabalho e tenho projeto de formar essa mão-de-obra aqui em Venda Nova do Imigrante.

E quando o problema é no apartamento que está acima ou na casa ao lado da nossa, o que fazer?

Quando o problema da umidade é no apartamento de cima, há de se entrar em acordo com o morador de cima para tratar da infiltração na sua unidade. Se a umidade vem do apartamento do lado dá para solucionar o problema na unidade onde a umidade se apresenta desde que ela não seja uma infiltração direta causada por vazamento de cano hidráulico. Nesse caso tem que eliminar a fonte, ou seja, consertar o vazamento no cano. Na verdade quando se fala em umidade temos que sempre eliminar o problema na fonte.

Um problema muito comum é a umidade, e por consequência, o mofo. Como combater esse mal e tantos outros provenientes da umidade?

O procedimento padrão é impermeabilizar a superfície estancando a umidade e não permitindo que ela se apresente na superfície pintada degradando o reboco e a pintura. Quando se chega a esse ponto sua casa está doente, e as patologias que se apresentam a partir da umidade que chamamos no meio técnico de “mãe de todas as patologias” podem causar além do problema estético e psicológico doenças como asma e rinite alérgica, causando grandes transtornos aos usuários desse ambiente. Há locais onde o mofo está tão alastrado que consideramos esses ambiente insalubres, ou seja, ambientes não-saudáveis.

Depois do caso de desabamento do edifício ocorrido no Rio de Janeiro, começaram a aparecer muitos outros casos na mídia. Qual o principal cuidado que se deve ter ao se pensar em reformar?

Nos modais construtivos modernos além dos “esqueletos” de sustentação das construções altas, de 20 anos para cá foi inserida a técnica construtiva de paredes autoportantes. Essas paredes têm a função de fechamento de vãos e também de absorção dos esforços solicitantes da obra. Há obras mais baixas onde essas paredes suportam sozinhas essas solicitações, e há projetos que essas paredes dividem com o esqueleto esses esforços. Defendo a ideia de que toda edificação que tiver várias unidades padrão deva colocar um aviso na portaria e nos quadros de aviso informando que essas unidades da edificação têm paredes autoportantes. Portanto, qualquer modificação na planta ou derrubada de parede tem que ser precedida de uma rigorosa avaliação técnica.

Como se prevenir contra as doenças da construção?

Primeiro contratar profissionais para fazer um bom projeto, que vai adaptando-o ao terreno, e buscar fazer da natureza o seu aliado e parceiro, utilizando no projeto ao máximo a luz natural e o arejamento, bem como os raios solares. Até a umidade que pode se transformar em problema podemos utilizar como solução, impermeabilizando a obra desde a fundação e drenando a água que poderá ser utilizada nas descargas de vasos sanitários, lavagem de veículos e

A umidade é uma patologia que não pode ser negligenciada. O projeto deve contemplar a impermeabilização desde a fundação da obra. Laje sem impermeabilizar não é cobertura e, sim, piso que não tem o atributo de reter líquidos. Esses substratos têm que ser impermeabilizados, bem como as jardineiras suspensas, caixas d’água de concreto ou alvenaria, piscinas, varandas sem fechamento e todo substrato onde a água ou outros líquidos têm contato direto. Observando esses detalhes da obra você terá uma casa sadia e livre das patologias da construção que tanto aborrecimento e preocupação nos causam.



Fernando Francisco do Nascimento é técnico em tinta imobiliária com ênfase em patologias nas construções e docente do Senai Vila Velha (ES).




Fonte:www.radiofmz.com.br


Visite nossa página no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao - Curta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

Retrofit: o que significa e qual sua importância

Retrofit e manutenção das fachadas: entenda os conceitos

Retrofit: Entre o antigo e o novo

Apartamentos antigos ganham nova roupagem

Você sabe o que é retrofit?

Retrofit, muito mais que uma reforma!

Retrofit. O que é, como funciona e quando é recomendado

Retrofit é recurso para adaptar edifícios às exigências da arquitetura

Retrofit verde ajuda no bolso (e revoluciona seu prédio)

Patologias da construção civil. Elas existem!

Retrofit, a nova tendência das reformas

Retrofit, uma reciclagem tecnológica

Reciclando entulho de material de construção

Restauração valoriza e amplia o tempo de uso da madeira

Casas antigas merecem respeito - 2ª parte

Casas antigas merecem respeito - 1ª parte

Retrofit e a escassez de terrenos

Equívocos em fachadas

Reformas em condomínios, como proceder nessa hora.

Retrofit Predial, uma reciclagem tecnológica

Retrofit é uma boa opção?

Marcenaria artística: ocupação mais produtiva dos espaços, aliando estética e sustentabilidade!

Retrofit dá nova cara à sede da União dos Escoteiros do Brasil em Curitiba

Retrofit verde

Tecnologia Associada a Patrimônio Histórico

Reuso de Materiais de Demolição

As dificuldades no reuso de materiais de construção

Reuso de Aberturas

O restauro da arquitetura histórica de terra com a super-taipa

O que é retrofit?

Decorando com Arte Sacra