Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

Sustentabilidade é uma das prioridades do IBDA , e temos a parceria com o GRUPO SUSTENTAX.
A “Sustentax – Engenharia de Sustentabilidade “ é uma empresa do grupo, que se dedica a projetos de sustentabilidade de empreendimentos, desenvolve o gerenciamento de certificação de prédios, com base no critério LEED (Leadership in Energy na Environmental Design) criado pelo USGBC (U.S. Green Building Concil).
Saiba mais: www.sustentax.com.br

Em Arquitetura sustentável (veja mais 132 artigos nesta área)

por Arqº Lourenço Gimenes

Sustentabilidade é pura bobagem



O título é mesmo para chocar e chamar a atenção. Se você começou a ler este texto por indignação, ótimo sinal.

Não, não creio que sustentabilidade seja, de fato, uma bobagem. Porém, buscarei mostrar nas próximas linhas que não acredito no enfoque dado ao termo, hoje, no Brasil. Acredito que cada um de nós, por mais distante que possa estar da discussão, observa com concomitante entusiasmo e desconfiança a celebração da ‘sustentabilidade’ que hoje toma conta da mídia.



Digo mídia, e não arquitetura, por duas razões. A primeira é que acho que o fenômeno é muito mais amplo que a construção civil – ele é quase onipresente. A ‘moda’ da sustentabilidade invadiu embalagens de papel higiênico, cadernos, faróis de automóveis e até solas de tênis.

Sustentabilidade está em todo lugar, e principalmente onde não deveria estar: qualquer empresa, hoje, inventa um carimbo próprio para dizer que o seu produto é sustentável, mesmo que não o seja – o importante, afinal de contas, é vender a idéia da responsabilidade e, de preferência, cobrar mais caro pelo mesmo produto ruim.

O exemplo mais interessante de tolice que já vi sobre o tema saltou-me aos olhos ao folhear uma revista do setor de serviços prediais. Numa propaganda de página inteira, alardeava-se a oferta de ‘serviços sustentáveis’. Não sei o que são os tais serviços sustentáveis, e suspeito que o anunciante faça ainda menos idéia do que eu. Ao ler o restante do anúncio, descobri que a empresa oferecia serviços terceirizados de portaria, segurança, manobrista e copeira para empresas. Até hoje me pergunto se um porteiro sustentável veste-se de verde, se o manobrista só estaciona carros a álcool ou se copeira só serve café orgânico. Realmente não faço a menor idéia.

A segunda razão é que eu acho que a boa arquitetura já nasce sustentável. Ou seja, é até descabido analisar arquitetura sob esse aspecto. Ela não precisa de atestado, propaganda e nem diferenciais que não a sua própria qualidade – sustentabilidade é premissa básica.

Como toda moda, por mais que gostemos, devemos olhá-la sempre com alguma cautela. Na arquitetura, o discurso predominante de sustentabilidade tem dois vetores principais: enquanto o primeiro estabelece o instrumental como o próprio partido, o segundo o insere à força num projeto fraco. Explicando melhor: ou se tenta fazer uma construção baseada num manual de ‘boas práticas’ ambientais, privilegiando os cálculos, simulações e especificações de materiais ecologicamente corretos, ou se faz um edifício perfeitamente ordinário, pasteurizado na caldeira do mercado, e se gasta uma quantidade enorme de dinheiro para corrigir o desempenho do edifício.

Deslumbrados com softwares fantásticos, estudos de insolação e ventilação, materiais tecnológicos ou simplesmente muito naturais, os arquitetos partidários do primeiro vetor passam por cima de um aspecto fundamental da arquitetura – a sua finalidade. O escopo da arquitetura é e sempre será criar ESPAÇOS. Espaços agradáveis, adequados e funcionais para o uso humano.

A arquitetura deve elevar o espírito, como diriam os grandes mestres. Fazer palpitar a alma e, ao mesmo tempo, oferecer uma solução prática para o programa solicitado. Vi poucos exemplos de uso consistente do instrumental técnico pelo simples fato de que os arquitetos que dele se servem esquecem do óbvio: instrumentos não passam meios – jamais serão a finalidade. O foco, portanto, está desviado.

No segundo caso, que considero mais grave, a questão normalmente se estrutura em volta de um interesse mercadológico tolo. Pode também acontecer de ser pura ingenuidade, mas há exemplos de espetacular ignorância – são prédios com fachada toda em vidro que usam ar-condicionado dito ‘ecológico’, ou que gastam uma verba injustificada em equipamentos diversos para compensar outras irresponsabilidades projetuais diversas. Má implantação, orientação, relação com o entorno, uso equivocado de materiais e técnicas parecem repetir-se incansavelmente na paisagem urbana.

Olhando para trás, a boa arquitetura brasileira modernista já incorporava conceitos muito simples e eficientes, naturalmente integrados à própria arquitetura. Aquela arquitetura era cuidadosa na forma como controlava o sol tropical, provia iluminação e ventilação naturais, criava espaços generosos onde se fundiam o edifício e o entorno, em meio a jardins belíssimos com espécies locais e generosamente permeáveis.

Ao mesmo tempo, trazia para a arquitetura a expressão da própria arte de um povo, ao desenvolver uma linguagem própria e também ao acolher na própria construção manifestações artísticas de outras disciplinas (o saudoso Athos Bulcão, que recentemente nos deixou, é um exemplo).

É claro que havia também a arquitetura modernista ruim, dura, ineficiente, até sem emoção. Mas será que para afirmarmos o ‘progresso’ e marcarmos a nossa participação nessa história precisamos nos livrar até mesmo das boas lições do passado? Penso em quanto tempo e oportunidades perdemos.

A boa arquitetura, como já disse, nasce sustentável. Não é o sistema de coleta de água que a faz merecer o título. A preocupação com o ‘tripé social-econômico-ambiental’ deve fazer parte dos mecanismos de criação de um espaço melhor, mais eficiente, correto e, sempre, emocionante.

Não precisamos fazer uma casa na árvore ou insistir que um prédio de taipa é ambientalmente correto. A maior parte da população mundial já vive em cidades, dispomos de tecnologias avançadas, somos capazes de reciclar, temos indústrias competentes – mas também não precisamos passar por cima da boa concepção, só porque temos aparatos eletrônicos para corrigir a preguiça de quem se acomoda a fórmulas de projeto fácil.

E não podemos ignorar que o ‘tripé’ envolve desenvolvimento e inclusão social, capacitação de mão-de-obra e educação, assim como a desejada economia de recursos nos alerta para o limite entre o voluntarismo formal e a inconseqüência projetual. Prédio sustentável que custa o dobro do convencional não é sustentável.

Sinto falta do erro – o erro bom. Sinto falta do ensaio. Sinto falta do espírito questionador que, sabendo aonde quer chegar, arrisca soluções inusitadas, inovadoras, utiliza o projeto como sua própria pesquisa. Precisamos desenvolver novas fórmulas, ainda que aprendendo com o passado. Precisamos de uma nova linguagem que signifique toda essa preocupação.

Precisamos de boa arquitetura. Isso que chamam de sustentabilidade por aí, em geral, é pura bobagem.




Lourenço Gimenes, Arquiteto e Urbanista, mestre e doutorando pela FAUUSP, é diretor do escritório Forte, Gimenes & Marcondes Ferraz Arquitetos. Dentre os últimos projetos do escritório, destacam-se as tipologias residenciais elaboradas para o concurso internacional Living Steel 2008, onde o escritório foi finalista e recebeu o Architect’s Prize na categoria de desenho urbano (www.fgmf.com.br/livingsteel). Professor do Istituto Europeo di Design, foi também professor na Unip e assistente PAE na FAUUSP. Trabalhou em escritórios como Jean Nouvel e tem textos publicados em diversas revistas especializadas.



www.fgmf.com.br



Visite nossa página no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao - Curta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

Arquitetura Sustentável - O que é um projeto sustentável

Arquitetura ecológica x Arquitetura sustentável

Iluminação natural, uma questão de sustentabilidade

Cobertura Verde: Um Conceito Barato e Ecológico para a Engenharia Civil

O Impacto da Construção Civil no Meio Ambiente

Acessibilidade para os mais velhos

Como assim, arquitetura sustentável...

Como Transformar Empreendimentos Existentes em Sustentáveis

Princípios básicos para uma Arquitetura Sustentável e Materiais Sustentáveis

Cenário da Construção Civil e Conceito de Construção Sustentável

Sustentabilidade Social Também é Fundamental

Materiais de construção sustentáveis

Arquitetura Sustentável

Infraestrutura verde e qualidade de vida

Acessibilidade para os mais velhos

Prédios verdes em crescimento?

Casas sustentáveis, o futuro das cidades

Como identificar os falsos produtos sustentáveis

Dicas de sustentabilidade para sua cozinha

Materiais Sustentáveis

Como reaproveitar a água da chuva?

Casas Sustentáveis: Lucro Certo.

Meio Ambiente e Construção Civil

Como Aplicar a Sustentabilidade em Casa?

Sustentabilidade é pura bobagem

Sustentabilidade: pequenas atitudes podem fazer a diferença.

Novos hábitos para uma cozinha ecológica

Ecologia Urbana – Ações Simples que Podem Preservar

Sustentabilidade no segmento de shoppings centers

Arquitetura Sustentável, seus conceitos

Panorama da sustentabilidade de empreendimentos no Brasil

Sustentabilidade na prateleira

Ecologia Urbana – Ações Simples que Podem Preservar o Meio Ambiente

Casas ecológicas, o que são?

RIO+20: As Delícias da Crítica Fácil ou O Manifesto da Contra-Indignação

Padrões de construção verde

Bambu é adotado como material de construção sustentável

Conheça o conceito de sustentabilidade e construção sustentável

Casas Ecológicas – Tenha um Lar Sustentável

Referências para o varejo sustentável

Hotéis verdes

Lojas mais sustentáveis

Meio Ambiente: Trabalhar sob a ótica da solução

Arquitetura Sustentável - O que é um projeto sustentável

Decoração ecológica

Como escolher produtos mais sustentáveis?

As várias faces da Sustentabilidade

Novas Referências na Sustentabilidade Empresarial

Seja sustentável no escritório também!

Pratique Sustentabilidade

Soluções incompletas para a substituição de sacolas plásticas

Arquitetura sustentável, o que é?

Sustentável no dia-a-dia

Concreto com menos cimento reduz impacto ambiental

As várias faces da Sustentabilidade

As Ecoineficiências dos Ecoeficientes

Prioridades na Sustentabilidade Corporativa

O varejo, os consumidores e os produtos sustentáveis

Acessibilidade urbana do portador de necessidades especiais e a sociedade

Como identificar produtos sustentáveis?

Politica e Gestão Ambiental – Proposta de Ecovilas para a população de baixa renda no Brasil

É chegada nossa hora?

Gestão Sustentável de Resíduos Sólidos da Construção Civil (GBC Brasil)

Casa com grama no telhado aposentaria ar-condicionado

Imóveis ‘verdes’: o uso de soluções para sustentabilidade

Simulação de Iluminação Natural para Certificação LEED

Primeiro empreendimento comercial certificado AQUA do Brasil

Sustentabilidade é, antes de tudo, um bom negócio!

Seminário da Construção e Certificação Sustentável (GBC Brasil)

A rotulagem ambiental e a competitividade no mercado interno

Produtos ecológicos? O detetive verde vai dizer.

Eficiência energética: CENPES - Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobrás

Ventura Corporate Towers - Fortalecendo o movimento verde no Rio de Janeiro

Ambientes termicamente mais confortáveis

Tecnologias ambientais e sociais: uma condição essencial para um futuro sustentável

Cursos EcoBuilding

A importância dos selos verdes

Prédios verdes, o que considerar.

Lançamento do Projeto Residência Sustentável

O impacto dos materiais em projetos e na construção de empreendimentos sustentáveis.

Olimpíadas sustentáveis, mãos à obra!

Moradias mais eficientes, com melhor qualidade de vida e menor impacto socioambiental

Prédios Verdes: Rochaverá Corporate Towers: recebe certificação ambiental

CASA COR - Interiores sustentáveis

A sustentabilidade na construção civil

Inclusão social com sustentabilidade

Uma Floresta Pouco Ecológica

Moradias mais eficientes, com melhor qualidade de vida e menor impacto socioambiental

Telhado Vivo ou Telhado claro?

Desenvolvimento Urbano Sustentável: uma proposta para o cinturão verde de São Paulo

Copa do Mundo Verde

Etiquetagem de Imóveis: uma questão de números

Materiais com baixos impactos no meio ambiente, na sua saúde e no seu bolso.

Desenvolvimento urbano sustentável : uma questão de espaço.

A casa de emissão zero

Arquitetura sustentável : Ubatuba - SP ganha o primeiro residencial clube.

Quanto Custa uma Casa?: uma nova abordagem sustentável

Arquitetura Apropriada em busca da Sustentabilidade

Arquitetura sustentável: ONU pede para construção civil reduzir emissões de carbono

Arquitetura Sustentável : O green building ficou pronto e agora?

Sustentabilidade orientou obra pública da Todescan e Siciliano em São Paulo

Sustentabilidade na Construção: nem Flinstones, nem Jetsons.

Antes de pintar seu imóvel pense na saúde de sua família

Arquitetura Verde: O Edifício Harmonia 57 - Admirável verde vivo

Contribuindo com a sustentabilidade: indústria cimenteira transforma pneus e resíduos em cimento

Edifícios Ecológicos

Antigo prédio de Museu de História Natural reabrirá sob um cobertor verde

Produtos recomendados para construções sustentáveis recebem atestado na Mostra do sistema FIESP

O que é Arquitetura sustentável?

Geoengenharia pode desacelerar ciclo global da água

A Liderança Empresarial e a Sustentabilidade

Arquiteta insere conceito de sustentabilidade em projeto de bar na mostra B Gourmet

A educação do cliente final vai criar demanda por imóveis sustentáveis

Diretora da Anab incita empresários a buscar inovações nas universidades

Sustentabilidade para Educar

Sustentabilidade para o mercado de construção

Indicador de dispersão urbana mostra impacto ambiental das cidades

Curso Intensivo de Geobiologia no Rio de Janeiro com Allan Lopes Pires

Telhados verdes - O valor das coberturas verdes leves

Seminário de Sustentabilidade

Por que durabilidade?

Casa - uma questão de pele

Asfalto de borracha utilizado para repavimentar vias

Turbinas submersas vão gerar energia a partir das marés

Os critérios LEED de avaliação para construção verde

Construção verde: orientada para o mercado, sem perder de vista o meio ambiente

O Brasil e a necessidade de aplicar os conceitos da arquitetura sustentável

Solo-cimento, solução para economia e sustentabilidade

Dicas básicas para um edifício sustentável

Arquitetura da preservação na nova sede da Ipel

Casateliê, um exemplo de arquitetura sustentável

O que é Arquitetura sustentável?

Soluções em tratamento de esgoto da Alpina