Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

Em Empreendimentos Imobiliários (veja mais 118 artigos nesta área)

por Arqº Lourenço Urbano Gimenes

Com quantos shopping centers se faz uma cidade?



O modelo tradicional dos Shoppings Centers está exaurido. Ainda bem!

Cada vez mais tenho visto artigos – normalmente em sites ou blogs de economia – que discutem a falência do modelo tradicional de shopping centers nos EUA*. Frequentemente instalados fora das cidades, acessíveis somente por carros, esses grandes edifícios são em geral traduzidos em grandes caixas fechadas, recheadas de lojas e atrações de lazer.



Em alguns lugares, o frio intenso até justifica o modelo hermético do edifício, reforçado pelo fato de estar isolado de qualquer outro edifício ou equipamento urbano e rodeado por infinitas vagas de estacionamento.

No Brasil, a febre dos shopping centers herdou muito do modelo norteamericano. Mas uma vantagem assegura à versão tupiniquim uma sobrevida possivelmente maior: por aqui, os shoppings estão geralmente dentro das cidades, ‘integrados’ ao cotidiano das pessoas.

Não que isso seja uma enorme vantagem para a cidade. O comércio tradicional de rua perdeu o público de renda média e alta para o conforto do ar condicionado, ilusão de segurança e desconexão absoluta com a realidade. Chuva, calor e noite são informações que os shoppings se orgulham de nos ocultar: afinal, quanto mais nos concentrarmos só em consumir, melhor...

O modelo de ‘caixa forte’ que os shoppings adotam é muito esquisito. Sua escala monumental geralmente afronta o entorno e provoca desequilíbrio na infraestrutura de transportes, água e energia. Seu espaço inequivocamente privado refuta relação com a rua, chegando ao extremo de, em alguns casos, simplesmente ignorar o consumidor que chegue a pé.

Espaços verdes, permeáveis ou públicos são impensáveis – se houver espaço livre, será para estacionamento! Será que os empreendedores não enxergam que isso é ruim para todos, inclusive para eles mesmos?

Orgulho-me de nunca ter posto os pés no Shopping Cidade Jardim, que é a última palavra em exclusão social. Perdido no meio da agressiva Marginal do Pinheiros, o shopping não acolhe qualquer tipo de pedestre – nem os ricos do bairro conseguem entrar a pé.

À guisa de fortificação medieval, sobre o monumental trambolho brotam edifícios neo-bobos que os novosricos ocupam com empáfia. Sorte nossa, eles não precisam nem sair de casa para ir às compras! O Cidade Jardim é a última palavra em condomínio-clube, esse câncer que se alastra pela cidade.

Ouvi dizer que vão até inaugurar cemitérios nesse tipo de condomínio, ao lado da ‘pérgula da babá’ e da ‘piscina do idoso’, para que as pessoas não saiam de casa para morrer.

Há também shoppings para outras classes sociais. Aliás, há vários: só na cidade de São Paulo, já são cerca de 50 grandes shoppings, e a lista continua a crescer. Mas de alguns anos para cá, novidades têm diversificado o mercado, como pequenos edifícios comerciais de bairro.

Esses pequenos shoppings nasceram da percepção de alguns empreendedores de que há espaço para pulverização do comércio de conveniência. Mais perto das casas, diluem o tráfego e não sobrecarregam as demais redes. Muitas vezes abertos para a rua, são convidativos também para pedestres.

Sua escala menor dificilmente causa grande contraste com o entorno. E, versáteis, são viáveis tanto em bairros ricos quanto em áreas menos abastadas, levando emprego, comércio e serviço para locais antes desatendidos.

Em alguns casos, funciona praticamente como comércio de rua tradicional, em outros, como uma mini caixa forte. Será que estamos voltando ao modelo de ‘galerias’, que foram tão populares nos centros de cidades como Rio de Janeiro e São Paulo?

O interessante das galerias é que elas são, potencialmente, parte do tecido urbano. Muitas vezes, interligam ruas diferentes e transformam o espaço privado em extensão do público e não brigam com o comércio tradicional de rua – pelo contrário, complementam-no.

Em São Paulo, as galerias do Centro podem ter perdido o ‘glamour’, mas continuam pulsantes e adaptadas ao padrão dos frequentadores atuais da região.

No Rio, é possível encontrar galerias chiques em meio a ruas de comércio vívido como a Visconde de Pirajá, que oferece na porta ao lado um sapateiro, um boteco ou uma farmácia.

Felizmente, lá o comércio de rua sobrevive à febre dos shoppings. Talvez porque a cidade não comporte, pela sua limitação física, novos e grandes edifícios – à exceção da Barra da Tijuca, é claro, mas a Barra está longe de ser o Rio.

Seja lá como for, equipamentos comerciais demandam uma sustentabilidade que transcende a eficiência energética do edifício. Seus materiais e dispositivos de conforto higrotérmico parecem menos relevantes do que a eficiência da própria cidade que o acolhe.

Não podemos pensar só em praças e jardins quando discutimos os espaços públicos de uma cidade, há de se considerar que eles são determinados também por outros usos, como o comercial.

Ignorar o problema é abrir mão de projetar uma cidade mais equânime, democrática, generosa e eficiente quando trabalhamos com um programa aparentemente tão ‘privado’.

E o mais engraçado de tudo: uma ampla revisão da cartilha dos shoppings poderia até aumentar sua eficiência comercial!


* em especial, indico o artigo Birth, Death and Shopping, publicado na The Economist de 19/12/2007 e o site www.deadmalls.com



Lourenço Urbano Gimenes , arquiteto e urbanista formado pela FAUUSP, com mestrado em Estruturas Ambientais Urbanas pela mesma instituição. Sua dissertação de mestrado “Estações Intermodais como Gerador e Regenerador de Centralidades Metropolitanas: Uma Análise do Potencial da Estação da Luz” recebeu o primeiro prêmio no concurso de monografias CBTU/Ministério das Cidades, em 2005. Sócio do escritório de arquitetura Forte, Gimenes & Marcondes Ferraz





Você conhece o "Curso a distancia IBDA - CentrodEstudos? Veja os cursos disponíveis, e colabore com o IBDA, participando, divulgando e sugerindo novos temas.

Visite nossa página no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao - Curta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

Como Escolher um Apartamento

Comprando um imóvel com segurança

Hora de reforçar a higiene nos condomínios para combater as doenças no outono/inverno

A diferença entre construtora e incorporadora

Vistoria de apartamentos novos: porque ela é tão importante.

Dicas para a compra segura de seu imóvel

Os cuidados ao contratar a administradora do condomínio

Pensando nas Crianças: geração que vive em condomínio quer desfrutar de lazer e segurança

Taxas de condomínio: alternativas são necessárias para o momento de crise

O síndico e as reformas condominiais

Acessibilidade, Condomínios devem se adaptar

Mitos e verdades na compra de uma casa

Condomínios novos reduzem o consumo de água.

Vantagens e Cuidados na hora de Comprar Imóveis na Planta.

Condomínios: Tolerar ou não barulho de vizinhos.

Imóveis, A era dos supercompactos

Como elaborar um projeto de construção de uma casa?

Instalação de antena em topo do prédio

Dicas para a compra de casa de campo

Vidros na construção civil

Você sabe o que é manutenção predial?

Imóvel novo ou usado? Antes de decidir, veja o que levar em conta.

Manutenção, algo que todos precisamos

Alteração da fachada do apartamento: quem decide, o proprietário ou o condomínio?

Assembleia virtual em condomínios é tendência

Condomínio, sociedade que deve prevalecer o diálogo

Saiba como eliminar os cupins da sua casa

Ninguém quer ser síndico. E agora?

Perguntas e respostas sobre Direito Trabalhista

Como comprar um Imóvel sem acumular Dívidas.

O uso do FGTS para a compra de imóveis.

Primavera traz aumento de bichos indesejados no condomínio. Como se prevenir?

A área do Imóvel no Lugar Certo.

Como avaliar um imóvel?

Drogas em condomínios

À procura de uma administradora, Aspectos importantes a serem considerados

Com quantos shopping centers se faz uma cidade?

Quais os recursos que podem ser usados para definir um valor para o seu imóvel?

Qual a diferença entre área útil e área total?

Os criadores de um projeto imobiliário - bastidores de uma obra

Implantação do prédio no terreno

O que checar antes de assumir o cargo de síndico

Na hora de reformar, quem deve arcar com os gastos, o inquilino ou o proprietário?

Checklist contra incêndios

Guia para reciclagem em condomínios

Sazonalidades no condomínio

Festa no condomínio? Cuidado para não arranjar confusão!

Defeitos em edifícios

Imóvel na planta: sonho ou pesadelo?

Apartamentos Novos são menores?

Venda ou locação de vaga de garagem em condomínio?

Etiqueta em condomínios

Imóvel em condomínio? Dicas úteis na hora da compra.

Investir em imóveis na planta, como fazer?

Dez dicas para comprar um imóvel na planta.

Funcionalidade Importa mais que Tendências e Moda

A Terceira Geração dos Flats

Como fazer alterações na planta do apartamento sem reduzir seu preço de venda

Compra de Imóveis na Planta, o que analisar?

Alteração de fachadas e das áreas comuns

A sistemática do Projeto como empreendimento

Crédito imobiliário, saiba como escolher o melhor

Elevadores: Período de chuvas requer cuidados especiais

Sala de ginástica, como montar uma em seu prédio?

As finanças de um condomínio

Como conservar os elevadores?

As contribuições da Manutenção para a segurança do complexo predial

Síndico, quais são suas reais atribuições?

Estrangeirismos dominam lançamentos imobiliários

O mercado imobiliário e a internet

Condomínios: Critério de rateio

Comprando imóvel na planta? Cuidado com o contrato.

Sem entrar em armadilhas no Minha casa, Minha vida.

Prospecção: Os sete maiores erros cometidos pelos corretores de imóveis

Não se deixe enganar pelas áreas.

O que é necessário para fazer qualquer reforma ou obra em condomínios.

Qualidade na Construção Civil

Quanto vale seu imóvel? Quando dois mais dois, podem não ser quatro

Critério de rateio em condomínios

Construir para alugar

Pagar aluguel pode ser melhor do que fazer financiamento

Construção civil registra ritmo acelerado, diz CNI

Construtoras voltam o foco para a média e a alta renda

Financiando seu imóvel em 7 passos seguros.

Maquiagem camufla os atrasos nas obras do PAC

Crédito imobiliário bate recordes e bancos preveem mais expansão

Crédito imobiliário avança e flerta com derivativo no país

Imóveis blindados são estimulados pela violência

Construção parte para ambicioso ciclo de expansão

É possível um terceiro comprar ou alugar garagem em prédios?

Caixa pré-aprova crédito facilitado para 4,3 mil construtoras

Vida em condomínio: sonho ou pesadelo?

Shoppings fazem readequações para se manterem competitivos e lucrativos

Desempenho do PIB ainda não captou recuperação da construção no primeiro semestre.

Ritmo do emprego na construção civil vem surpreendendo positivamente.

Condômino indesejável

Déficit habitacional: 6,273 milhões de domicílios.

Glossário Imobiliário

Hotel ou residência?

Terraplanagem + erosão = desastre

A incapacidade do estado de planejar e contratar

Contratos de gaveta

Novas fontes de financiamentos sustentarão crescimento da construção civil

Construção civil: Baixa renda garante desempenho das construtoras

Imóveis : Em busca de melhores investimentos

Financiamento de R$ 3 bilhões para a construção confirmado pela Caixa Economica Federal

Viver como antigamente

Casa em Resort

A importância do Habite-se

O que significa o conceito “build to suit”?

Empreendimento usa conceito sutentável

Shopping center com Centro empresarial: uma parceria de sucesso

Na ponta do lápis: será que é bom negócio construir para vender?

Avaliação imobiliária, a velha questão do preço versus valor

Será que comprar imóvel na planta é um bom negócio?

Guia para seu cliente: etapas da construção de uma residência ou pequena obra

Que fatores valorizam ou desvalorizam um imóvel?

Qual a área real de um apartamento?

A epidemia dos Condomínio-Clube