Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

por Arqºs Fernando Forte e Rodrigo Marcondes Ferraz

Como garantir o conforto térmico em casa nos dias quentes?



A preocupação com o conforto térmico nas construções em geral e, sobretudo nas casas, tem aumentado consideravelmente nos últimos anos. As pessoas estão mais exigentes com o seu conforto e conscientes com as questões de sustentabilidade e consumo de energia, principalmente dos aparelhos de ar-condicionado.

Mas então o que fazer? Como preparar a sua casa para o clima quente, tão comum no Brasil?

O ideal é que a preocupação com o conforto térmico aconteça logo no início do projeto. O correto posicionamento da casa no terreno, a correta localização das aberturas e um estudo básico do regime de ventos da região já resolvem boa parte do problema.


A quase totalidade do nosso território fica no hemisfério sul. Por conta disso, a fachada sul é menos ensolarada durante boa parte do ano e no inverno tende a ficar mais úmida e fria. Aberturas maiores nessa fachada podem significar luz sem a incidência direta do sol e o conseqüente aquecimento da casa.

A fachada leste recebe o sol da manhã e a oeste recebe o sol da tarde, com tempo maior de duração e consideravelmente mais quente. Para conter o sol que entra rasante dentro da casa, esquentando os cômodos, só os elementos verticais em frente às janelas são realmente eficientes. Nesse caso, os elementos quebra-sol ou brise soleil são bastante recomendados.

A fachada norte recebe sol durante todo o dia, com intensidade maior no inverno do que no verão, qualidade que se reflete até no preço mais alto dos apartamentos face norte nos edifícios. Não é um sol rasante, e um pequeno beiral já é suficiente para barrá-lo.

Os beirais e as varandas, tão característicos da nossa arquitetura, são dispositivos muito interessantes para conter a incidência direta do sol. As varandas ainda proporcionam espaços sombreados e abertos, bastante ventilados e tão agradáveis de estar nos dias quentes.

A ventilação é sempre importante para reduzir a temperatura dos ambientes, ou, pelo menos, a sensação de calor dos ocupantes. Posicionar aberturas em paredes opostas dentro da casa proporciona o que chamamos de ventilação cruzada (o popular vento encanado). Se, além disso, o arquiteto ainda orientar corretamente as aberturas, considerando os ventos predominantes da região, a construção se comportará de maneira muito melhor no calor.

Evite casas com estilos que nada tem a ver com o nosso país, época ou clima. Chalés suíços só fazem sentido na Suíça. No Brasil, além de cafonas, aqueles grandes telhados inclinados não só deixam de cumprir o seu papel de permitir que a neve derreta (já que não temos neve por essas bandas), como tornam a construção excessivamente quente.

Um bom exemplo desse tipo de equivoco são aqueles telhados cinza e escuros em estilo clássico francês, conhecidos como mansardas devido ao arquiteto francês Mansart. As mansardas abrigavam os empregados do século 17 numa Paris sem elevadores (pois eram os empregados quem tinham de subir mais escadas) e quente no verão (eram eles quem passavam mais calor e não os proprietários).

As construções milionárias do século 21 no Brasil que ainda copiam essa solução chegam a ser irônicas: paga-se uma fortuna por coberturas que imitam uma solução equivocada para o nosso clima e que representam ao mesmo tempo um exemplo de edifício não sustentável e uma total falta de conhecimento histórico.

A cobertura é a porção das casas que recebe a maior quantidade de radiação do sol. Essa superfície está sujeita à radiação luminosa durante quase todo o dia.

Para melhorar o seu comportamento, algumas dicas importantes: as telhas cerâmicas têm um desempenho melhor do que as de alumínio simples ou as de fibrocimento. Se a opção for por uma telha metálica, procure utilizar as do tipo sanduíche, compostas de duas camadas de alumínio ou aço entremeadas por isolante térmico. Se a sua casa tiver uma laje, procure também utilizar um isolante térmico como o isopor, por exemplo, na sua composição, ou isolantes entre a laje e o forro ou ainda elementos sobre a laje, como a cinasita (argila expandida).

A princípio, quanto maior a massa dos materiais, mais isolantes eles são. Logo, uma parede mais espessa fará com que o calor leve mais tempo para atingir o interior de sua casa. Este fenômeno é o que chamamos de inércia térmica. Paredes ou coberturas muito leves têm pouca inércia térmica e assim o calor entra muito rapidamente na construção. Blocos e telhas cerâmicas e tijolos maciços são materiais que se comportam bem no nosso clima. Paredes mais espessas e pintadas com cores claras são também boas soluções.

Conforto verde

A vegetação pode e deve ser usada para melhorar o microclima da sua casa. Todo mundo já se sentiu mais confortável ao andar num dia quente nas ruas sob as copas de árvores frondosas. As plantas não só são eficientes por sombrear as construções, como a sua respiração resfria o ar em volta. A vegetação ainda retém umidade de orvalho, chuva ou uma rega, o que ajuda a aliviar a temperatura a seu redor. Um jardim sobre a laje de cobertura tem um belo efeito paisagístico, além de isolar a casa do meio externo.

Os espelhos d’água são também elementos paisagísticos que contribuem para o conforto térmico. A evaporação da água aumenta a umidade do ar ao seu redor, proporcionando a sensação de frescor. A temperatura em volta destes espelhos d’água chega a ser três graus mais baixa do que seria se eles não existissem. Parece pouco, mas pode ser a diferença entre um local confortável e o calor insuportável, especialmente se realizado em conjunto com uma boa ventilação cruzada.

Essas dicas valem para todas as construções. Nas casas já existentes pode ser um pouco mais difícil aplicar todas essas regras, mas os conceitos são igualmente válidos. Fale com o seu arquiteto, pense nessas questões ao construir ou reformar seu imóvel. Mesmo que a decisão final seja a compra de um aparelho de ar-condicionado, a adoção de algumas dessas medidas fará com que as máquinas tenham um melhor desempenho e gastem menos energia para atingir a temperatura ideal.

No final, o planeta e você sairão ganhando.



Fonte:casaeimoveis.uol.com.br



Você conhece o "Curso a distancia IBDA - CentrodEstudos? Veja os cursos disponíveis, e colabore com o IBDA, participando, divulgando e sugerindo novos temas.

Visite nossa página no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao - Curta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

Refresque sua Casa Usando a Ventilação Cruzada

Como garantir o conforto térmico em casa nos dias quentes?

Como manter a casa confortável também no inverno?

Dicas para fazer uma casa menos quente

Conforto ambiental e saúde

Conforto ambiental na Arquitetura

Conforto ambiental

Como garantir o conforto térmico em casa nos dias quentes?

Ventilação Natural em Residências

Como escolher o ar condicionado?

Conforto ambiental, construindo o sustentável.

Isolamento térmico de fachadas pelo exterior

Espuma de madeira vai deixar sua casa mais confortável

Consequência do aumento da temperatura no nosso meio ambiente

Calor? Atenção com o ar condicionado em ambientes de trabalho.

Melhorando o isolamento acústico nas residências.

Falta de conforto ambiental é problema em novas construções.

Isolamento acústico fica mais eficiente quando é perfurado

Crescimento da Engenharia Acústica, está associado à Expansão Urbana

Proteja sua casa dos ruídos externos!

O Calor e Seus Efeitos nas Edificações.

Conforto ambiental, ou conforto térmico?

Os cuidados com o desempenho acústico em edifícios

Conforto Ambiental, desafio para arquitetos

Água e luz: pequenas providências que podem trazer grandes benefícios

Ouvir é preciso e precioso!

Conforto ambiental: mudança pode beneficiar a saúde

Edifícios silenciosos: o que fazer para diminuir o ruído nos ambientes

Iluminação natural eficiente, lentes prismáticas e a Sindrome dos Prédios Selados

Tratamento de piscinas com ozônio, solução para pessoas com alergia ao cloro

Calcário na água – um problema de saúde pública?

As cores e seus significados

Janelas anti-ruído reduzem poluição sonora

Home Office une conforto e tecnologia