Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

por Marcelo Coelho

Normas para andar de elevador?



Tudo bem, muitas pessoas dirigem mal (incluo-me entre elas), têm dificuldades com os comandos do celular (sou uma nulidade nesse ponto) e se confundem muito com os controles remotos da casa (estou na média quanto a isso).

Existem contudo algumas habilidades básicas, que já não deveriam constituir segredo para ninguém. Só que, em pleno século 21, muita gente não as domina a contento.



Andar de elevador, por exemplo.

Peço perdão pela rabugice. Mas acho que síndicos e outras autoridades poderiam instituir um curso rápido para andar de elevador, assim como o Detran impõe o seu para infratores ao volante.

Não penso apenas nas noções básicas, como aquela que proíbe segurar a porta por muito tempo, por exemplo. Uma norma igualmente importante, mas aparentemente desconhecida entre nós, é a de esperar a chegada do elevador a uma certa distância da porta. Costumamos fazer o contrário: encostar o rosto no vidrinho, para ver se o elevador está chegando. Falta de civilidade. Quando o elevador chega, quem está saindo dele tende a dar de cara com a barriga do vizinho.

Há também as pessoas que, num elevador razoavelmente vazio, grudam no painel dos botões, impedindo que novos passageiros apertem o do andar aonde querem ir. Outros não se conformam com o botão já apertado. Se não o apertarem eles mesmos, não se sentem donos do próprio destino.

Critico esses passageiros com "complexo de ascensorista", mas admito ter um hábito muito chato também: sou sempre aquele que puxa antes a porta do elevador. Isto é, quando estou do lado de fora, e o elevador chega, não espero para ver se dentro havia alguém.

O passageiro que estava empurrando a porta para sair corre o risco de levar um tombo feio, desequilibrado pelo puxão que dei precocemente.

Ignoramos, enfim, que um elevador também tem "mão e contramão". Nesse aspecto, é um meio de transporte bastante complexo.

Fico do lado direito quando chamo o elevador. Mas deveria deslocar-me para a esquerda depois de feito isso, para não entravar a saída de ninguém.

Mão e contramão parecem ser profundamente ignoradas, aliás, em outra invenção moderna, os bufês de salada em churrascaria, nos quais muitas confusões de tráfego poderiam ser evitadas com o uso de sinalização correta.

Outra coisa que não entendo, mas talvez aí exista alguma razão biológica para o fenômeno, são as pessoas que nunca sabem se o elevador subiu ou desceu. Pensam ter chegado ao térreo e estão no vigésimo andar.

Por outro lado, é bem simpático, apesar de não ter lógica nenhuma, um hábito de que absolutamente não compartilho. É quando a pessoa abre o elevador e pergunta aos que estão dentro: "Sobe?".

Não, estão todos descendo. A pessoa queria subir. Mas mesmo assim entra no elevador. "Não faz mal, dou um passeio."

Fico sempre pensando: "Então, por que perguntou?". Mas não me irrito. Creio que as pessoas com esse hábito revelam, sem dúvida, seu gosto pelo convívio humano.

Acham estranho entrar num elevador sem dizer nada, do mesmo modo que alguns estrangeiros não entendem como podemos iniciar uma refeição sem dizer "bom apetite". E talvez imaginem que a gente se ofenda, caso desprezem nossa companhia pelo simples fato de que não vamos no mesmo rumo.

Lembro-me de ter ouvido poucas e boas, num país estrangeiro, por não saber usar direito a escada rolante. A regra é ficar parado do lado direito, deixando o esquerdo para quem está com pressa e quer desembestar pelos degraus. Até onde sei, ninguém presta muita atenção a essa norma no Brasil. Que concluir desse desregramento ascensorístico? Entre a "casa" e a "rua", para usar as categorias de Roberto da Matta, o elevador é um espaço liminar, de separações ainda nebulosas entre os direitos dos outros e os nossos.

Trata-se também, como qualquer outro meio de transporte no Brasil, de um local de embolamento, de contato físico. Não se tem aqui a mesma alergia que nos países anglo-saxões à proximidade corporal.

Desconfio, ademais, de um último motivo. Não tanto quanto de aviões, ainda assim as pessoas têm medo de elevador. Aproximam-se, embaraçam-se, atropelam-se e se atrapalham para se proteger de uma pane, ou, pior, daquele fosso profundo que as espreita em todo condomínio, e que também pode ter um outro nome, o de solidão.




Fonte:www.condoworks.com.br




Visite nossa página no facebook -www.facebook.com/forumconstrucao - Curta, Divulgue

Comentários

Mais artigos

Como escolher o terreno certo pra construir sua casa

Documentação: o que é necessário saber antes de uma reforma

A importância de Inspeção Predial Periódica

Dicas de construção e reforma

Não esqueça a calçada na hora de reformar

Tenho que reformar, e agora?

Construir uma casa geminada: Boa ideia ou dá problemas?

Oito regras de ouro para poupar dinheiro na construção

Quais os 5 problemas mais comuns na reforma

Cuidados na compra de um imóvel usado

Vai reformar? Locação de galpão é uma opção.

Dicas para organizar a casa antes da reforma

5 vantagens do gás canalizado para sua residência

Como vistoriar o Imóvel Alugado.

Pavimento permeável

A nova perícia e o mercado imobiliário

Como conservar peças de madeira na sua casa

Dicas para reforma e ampliação de residências

Vai começar uma reforma?

Conheça (e fuja) dos erros em construções e reformas

Dez revestimentos fáceis de limpar para diferentes ambientes da casa

Mercado imobiliário: O que você precisa saber antes de comprar um imóvel?

A inclinação do terreno influencia no preço da construção de uma casa?

Nova norma para a regularização de reformas - ABNT NBR 16280

7 sinais de que sua casa precisa de uma reforma

O que é um telhado de treliça de madeira?

Qual a altura ideal para tomadas na parede: em cima, no meio ou em baixo?

Como comprar um lote com segurança: 10 principais cuidados para não ter problemas.

Imóvel na planta sem registro é crime.

Esquadrias na construção civil

Vai reformar a casa? Confira dicas importantes

Como construir duas casas em um lote ou terreno?

Ventilador de Teto: Confira as dicas para não errar na escolha.

As primeiras coisas que deve fazer agora que comprou um imóvel.

Que cuidados tomar ao contratar a mão de obra para uma reforma ou construção?

Dicas para planejar e concluir a reforma sem sofrimento

10 Cuidados para Comprar Terrenos em Loteamentos.

Dezesseis principais riscos em um canteiro de obras

Quais são as diferenças entre os vários tipos de esquadrias?

Recomendações na compra de terrenos

Concreto moderno importa tecnologia da Roma Antiga

Os cuidados que você deve ter ao contratar profissionais para sua obra ou reforma

Tenho que reformar, e agora?

Quem faz o que em um projeto de construção, reforma, decoração ?

Desperdício na obra, como evitar.

Concreto e PVC, um casamento promissor.

Normas para andar de elevador?

Acerte na Escolha do Terreno Ideal

Procedimentos Para Legalizar Uma Obra

Materiais de Construção - Como Comprar?

Quem é o profissional que vai cuidar de sua obra?

Utilização de Elevadores e Escadas Rolantes

Obras públicas: conheça seus direitos

E o terreno? Dicas de construção.

Aspectos legais, dicas de construção.

Projeto, dicas de construção.

A indústria nacional na UTI

Qualidade da acústica começa com a escolha dos tijolos

Portas e janelas de alumínio, como conservar.

Planta Baixa – Traçando linhas e medidas

Regime Diferenciado de Contratações: um erro de proporções olímpicas

Contratar ou não contratar?

Vai ter que mudar? Como planejar e organizar

Sonho da casa própria e suas armadilhas

Vale a pena comprar imóvel por meio de consórcio?

Preocupação estética reduz custos de manutenção em elevadores

Como economizar água e energia elétrica

Comércio, desindustrialização e violência

Avaliação imobiliária : a técnica vencendo a intuição

Documentação do imóvel. O que é necessário na hora da compra?

Arquitetura que cola: obra exigiu nova técnica de construção civil

Na compra de um imóvel usado, saiba avaliar as condições

Copa de 2014: É hora de falar sério, Brasil

Planejando sua construção. Ou, evitando surpresas desagradáveis.

O pior gargalo é o governo

PAC: Gargalos e tropeços!

As catástrofes não avisam, o que fazer frente a isso? - O conceito de Arquitetura Emergencial

Construção civil: Pesquisa mostra otimismo do setor com economia em 2010

11,5 Bilhões. Bondes modernos.

Incompetência para investir.

A Década da Infraestrutura.

Vai construir? Planejando para economizar.

Imóvel na praia: investimento ou despesa?

Água como material de construção

Vai construir? E os aspectos legais?

Vai construir? E o terreno?

Arquitetura brasileira contemporânea: caminhos - final

Arquitetura brasileira contemporânea: caminhos - parte 03

Dicas de construção: Quem contratar?

Serviços de engenharia e as dúvidas dos síndicos

Arquitetura brasileira contemporânea: caminhos - parte 02

Arquitetura brasileira contemporânea: caminhos - parte 01

Construção civil e sua eterna crise

Dicas de construção: e os Projetos?

Dicas para construir a casa dos seus sonhos

Construção confia em excelente 2º semestre.

A Construção Civil e seus Resíduos

Forros: além de decorativos podem ser solução para “aumentar” o pé-direito

Nova lei para elevadores e andaimes