Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

Procuramos o desenvolvimento de nosso setor, em todos os aspectos,e saúde é sempre fundamental. Nessa nova área, temos a parceria e orientação do “Grupo Faz Bem”, que é composto por vários canais de comunicação, incluindo uma Editora, TV e Rádio web. O portal de saúde e relacionamentos www.fazbem.com carrega o mix de conteúdo sendo o número um, no site de busca Google. Os artigos são todos preparados por especialistas na área de saúde e relacionamento e cuidadosamente revisado pelos jornalistas J.Washington e Darleide Alves


Acesse : www.fazbem.com

Em Saúde para Profissionais (veja mais 67 artigos nesta área)

por Redação do Fórum da Construção

Dilemas morais: Nós somos mais ou menos morais do que pensamos?



Frente à pergunta se seríamos capazes de roubar, a maioria de nós responderia que não. E será que tentaríamos salvar uma pessoa que estivesse se afogando? Isso depende - pode ser que não saibamos nadar ou que tenhamos medo de ondas grandes.

Muitas pesquisas têm explorado os caminhos que trilhamos para tomar nossas decisões morais. Mas o que realmente importa é, quando a situação real se coloca, será que nossas previsões coincidem com as ações que tomamos de fato?



Previsão moral e ação moral

Para abordar esta questão, cientistas da Universidade de Toronto, no Canadá, analisaram a diferença entre a previsão moral e a ação moral - e as razões por trás das incompatibilidades entre as duas.

E os resultados são encorajadores: os participantes agiram de forma considerada mais moral do que eles próprios haviam previsto.

O estudo foi publicado na revista especializada Psychological Science.

O problema é que esta não é uma conclusão definitiva - na verdade, outros estudos já haviam concluído o contrário.

O papel das emoções

Então, qual é o elo perdido entre o raciocínio moral e a ação moral?

Para os pesquisadores, a resposta definitiva é a emoção.

Emoções - medo, culpa etc - desempenham um papel central em todos os nossos pensamentos e comportamentos, incluindo o comportamento moral.

Contudo, quando as pessoas estão pensando em como elas vão agir, elas não têm uma noção adequada da intensidade das emoções que vão sentir na hora do aperto.

É por isso, segundo os pesquisadores, que as pessoas julgam mal o que vão fazer em uma situação.

Dilema moral

Para este estudo, três grupos de estudantes responderam um teste de matemática com 15 questões, sendo prometido um prêmio de US$5,00 para 10 respostas certas ou mais.

Um dos grupos foi informado de que uma falha no software faria com que a resposta correta aparecesse na tela se eles pressionassem a barra de espaço - e ninguém mais ficaria sabendo disso.

Outro grupo ouviu esse dilema moral, devendo prever se os colegas cederiam à tentação de apertar a tecla de espaço ou não.

O terceiro grupo apenas fez o teste, sem a oportunidade de trapacear.

Indicadores de emoção

Durante o teste, eletrodos mediam a força das contrações cardíacas dos participantes, o ritmo dos batimentos cardíacos, sua respiração e o suor em suas mãos - indicadores que aumentam com a emoção.

Nenhuma surpresa: aqueles que estavam enfrentando o dilema real - os do primeiro grupo - demonstraram os maiores níveis de emotividade.

E suas emoções os levaram a fazer a coisa certa e se abster de trapacear.

Os estudantes do segundo grupo se sentiram mais calmos e previram erradamente que seus colegas trapaceariam bastante.

Os estudantes que fizeram o teste sem nenhuma oportunidade de trapacear permaneceram calmos, indicando que a excitação sentida pelos alunos do primeiro grupo devia-se exclusivamente ao dilema moral que eles estavam vivendo.

Conflito de emoções

Agora os cientistas planejam repetir o experimento com prêmios mais altos, para ver se as emoções entram em conflito e o potencial de um grande ganho supera o medo associado com a trapaça.

"Desta vez nós tivemos um quadro róseo da natureza humana," afirmou Michael Inzlicht, coautor do estudo. "Mas a conclusão essencial é: são as emoções que o levam a fazer a coisa certa ou a coisa errada."


Fonte: www.diariodasaude.com.br


Você conhece o "Curso a distancia IBDA - SitEscola? Veja os cursos disponíveis, e colabore com o IBDA, participando, divulgando e sugerindo novos temas.

Comentários

Mais artigos

Suicídio: O Que Leva Uma Pessoa a se Suicidar?

Os efeitos da solidão na saúde

10 Tipos de Acidentes Mais Comuns na Construção Civil

Oito dicas que ajudam a lidar com a pressão e o estresse

O stress e a organização no ambiente de trabalho

Tristeza natalina: por que acontece e como evitar

A importância da saúde para a competitividade das organizações

Abraços podem ajudar a prevenir estresse e outras doenças

Os 10 mandamentos de quem quer seguir uma dieta

10 principais problemas de saúde desenvolvidos no trabalho

Nove dicas para prevenir problemas de coluna

5 passos para melhorar a sua autoestima

Como cuidar da saúde, enquanto se está no trabalho?

O stress e a organização no ambiente de trabalho

Sedentarismo

Atividades para idosos: a vida começa aos 60!

Doenças do trabalho

Quais são os melhores alimentos para ter uma pele saudável?

Equilíbrio nos idosos

O Stress e Diabetes

Caminhar melhora a criatividade

Falta de exercício é principal fator de risco para mulheres

Tudo sobre o estresse

Como conversar e lidar com um idoso teimoso

Infidelidade conjugal: Prazer ou Dor?

Como é que o envelhecimento afeta a saúde sexual

Como cuidar da sua saúde durante o trabalho

6 dicas para acabar com o estresse no trabalho

Para melhorar a mente, aprenda algo realmente novo

Você não consegue julgar o comportamento dos seus amigos

É possível evitar a barriguinha da meia-idade?

Comer demais já mata mais do que fome no mundo

Sete dicas para afastar o estresse sem sair da mesa de trabalho

12 hábitos que ajudam a ter uma saúde mais plena

Como identificar os sinais de uma depressão

Leite de Soja – Propriedades Medicinais

Como tornar os dias dos idosos mais agradáveis.

Conheça mitos e verdades sobre exercícios abdominais

Como reduzir o problema do mau hálito

Andar é tão bom para o corpo quanto correr, com menos riscos

Como cuidar da sua saúde durante o trabalho

8 dicas para cuidar de uma pessoa deprimida

Civilização moderna, pessoas modernas e doenças modernas

Esclarecendo 25 dúvidas sobre o consumo de sal

Envelhecer - uma tarefa que exige cuidados simples

Os exercícios e a reciclagem do corpo

Sete hábitos para um coração saudável

Suar é importante para manter a temperatura, mas não emagrece

7 segredos para sua caminhada dar certo

Como cuidar do corpo para dominar o estresse

Pessoas bem informadas alimentam-se melhor

O que é o alongamento?

Plantas e ervas em excesso podem fazer mal à saúde!

Doces e açúcares na enxaqueca

Saúde: Seis regras de ouro para você.

Sonolência excessiva diurna, um problema atual

Filhos: os pais não tem como acompanhar o tempo todo, mas é preciso ter muito cuidado

Cogumelos, por que fazem bem à saúde?

Atividade física é qualidade de vida

Dilemas morais: Nós somos mais ou menos morais do que pensamos?

Uma maneira refrescante de cuidar da saúde: suchás

Os campeões são vegetarianos? Perguntas e respostas.

Ciúme ou medo?

Familiar deprimido? O que fazer

É hora de desintoxicar!

Relacionamentos: Como conviver com a sogra!

Alimentos saudáveis, de A a Z.

A importância da saúde na carreira profissional