Seu navegador não supoerta scripts

Busca

 

Curso a Distância - Redução do consumo de água em edificações

Curso a Distância - Eficiência Energética em Edifícios

Curso a Distância - Arquitetura Corporativa

Curso a Distância - Terra Crua

Curso a Distância - Arquitetura Acessível x Barreiras Arquitetônicas e Culturais

 

Artigos

 



Catálogo de Produtos Inclusivos

 

Acompanhe-nos

Facebook   Facebook

 

 

O Studio GRIF de Arquitetura, Interiores e Design cria e executa todas as etapas do projeto - do estudo original
ao produto final, em busca da melhor relação
qualidade x preço.

Acesse : www.ignezferraz.com.br
Arquitetura Corporativos Design Residenciais Mostra
Arquitetura
Corporativos
Design
Residenciais
Mostra

Em Soluções Arquitetônicas e Ideias Criativas (veja mais 42 artigos nesta área)

por Arq. Ignez Ferraz

Novos Paradigmas da Arquitetura Contemporânea



A divulgação do vencedor do concurso fechado para a construção da nova sede do MIS (Museu da Imagem e do Som) no Rio de Janeiro, mais uma vez fomentou a discussão quanto ao estilo do projeto. O impacto do edifício na paisagem da praia de Copacabana suscitou polêmica – assim como já havia acontecido com a Cidade da Música (Christian de Portzamparc) na Barra e o projeto cancelado do Guggenheim (Jean Nouvel) para o Píer Mauá.


MIS / Scofidio + Renfro / Rio de Janeiro 2009


Scofidio + Renfro (MIS) empregaram uma linguagem mundialmente consagrada há décadas - a arquitetura contrastante com o entorno. Um dos primeiros a adotar esta postura foi o arquiteto italiano Renzo Piano, em parceria com o americano Richard Rogers, ao vencerem ainda muito jovens o concurso para o Centre Georges Pompidou (Beaubourg) em Paris nos anos 70. Sua concepção industrial com cores fortes inserido no coração do tradicional bairro Le Marais chocou muita gente.

Porém, a arquitetura monumental é importante para a cidade. Ela cria paradigmas, pontos de referências, marca épocas, vira símbolo, e, principalmente, provoca discussões que ajudam a formar opinião e cultura arquitetônica. Toda metrópole possui pelo menos um ícone contemporâneo - muitas vezes redefinindo seu status, colocando-a no mapa mundial, como foi o caso do Museu Guggenheim em Bilbao do americano Frank Gehry.

Nas obras de grande porte existem algumas linguagens predominantes utilizadas pelos arquitetos:

COMPLEXIDADE

O de(s)construtivismo (estilo adotado no MIS e na cidade da Música do Rio) é uma das referências mais fortes na arquitetura mundial. Os austríacos Coop Himmelblau (“Dachausbau” – Viena), ao lado de Bernard Tschumi (Suiço) e Peter Eisenman (EUA) foram os precursores do movimento na década de setenta. O duo ‘complexidade formal E executiva’ só foi viável com a utilização das tecnologias mais avançadas de programas computacionais. Além deles e de Gehry, os principais nomes da atualidade são o polonês Daniel Libeskind (Museu Judaico de Berlim) - que também participou do concurso do MIS -, a iraniana Zaha Hadid (Rosenthal Center of Contemporary Art – Cincinnati) e o escritório americano Morphosis.


Cooper Union / Morphosis / Nova York 2008


O projeto do novo campus da Cooper Union do Morphosis é chocante em relação ao entorno – como se esperaria para uma escola de design – mas é contrabalançado pelo envelope metálico semi-transparente da fachada que traz a paisagem para dentro do edifício.

SIMPLICIDADE

Levando ao extremo o conceito de “menos é mais” do alemão Mies Van der Rohe, ícone do modernismo, o minimalismo é uma linguagem baseada na pureza das formas. Os japoneses são mestres nessa arte e possuem nomes relevantes como Tadao Ando (Igreja da Luz – Osaka), Shigeru Ban (Pavilhão Japonês – Expo 2000), Toyo Ito (Tod’s - Tóquio) e o escritório SANAA.


New Museum of Contemporary Art / SANAA / Nova York 2007


O grupo SANAA utilizou o mesmo recurso das grades de alumínio na fachada do New Museum of Contemporary Art, com um conceito oposto. Sua pele evoca uma pilha de caixas desencontradas numa composição misteriosa, que à noite chega a ser etérea. Este revestimento foi escolhido em função da vizinhança - lojas de supplies para restaurantes – proporcionando um efeito sólido e industrial.

Mas o minimalismo já se propagou pelo mundo e muitos arquitetos ocidentais são defensores deste conceito. Destaque para os Países Baixos, Nórdicos, Ibéricos e Sul-americanos.

SIMPLICIDADE + COMPLEXIDADE

Existe ainda uma linha intermediária, que vem ganhando força. Formas de fácil compreensão, porém com uma complexidade tecnológica e construtiva de última geração. Exemplos não nos faltam desde as olimpíadas de Pequim. O “Cubo d’Água”, como ficou conhecido o estádio aquático de natação (escritório australiano PTW), ou os suíços Herzog & De Meuron (Estádio Olímpico “Ninho de Pássaro” em Beijing, Estádio da Copa da Alemanha “Alianz Arena” em Munique). Os projetos do inglês Sir Norman Foster (Swiss Re Tower – Londres) são caracterizados como High Techs, mas suas formas são altamente legíveis.

Talvez o mais vanguardista deste pensamento seja o holandês Rem Koolhaas. Conhecido também como grande teórico, Koolhaas consegue antes de tudo ser polêmico.


CCTV / Rem Koolhaas / Pequim 2008


O projeto do OMA (escritório liderado por Rem Koolhaas) para nova Sede da CCTV foi uma das primeiras torres a ser construída no novo Centro de Negócios (CBD) de Beijing. Apesar da altura (230m), não é um arranha-céu tradicional - seu desenho contínuo cria uma espacialidade tridimensional, mais do que uma afirmação de verticalidade. A amarração por um grid irregular representa os esforços distribuídos pela estrutura.

Contextualismo + Sustentabilidade

Apesar de tantas linguagens possíveis, duas tendências são comuns a todas:

O grande paradigma da arquitetura hoje é Sustentabilidade. Este ideal tornou-se um pré-requisito para qualquer grande obra. Seja na execução, na economia de recursos dos equipamentos, no uso da edificação, ou mesmo no destino final de suas partes após a destruição. A preocupação com a diminuição do impacto da construção civil sobre o planeta é a principal meta estabelecida para o futuro desde a ECO 92.

Se analisarmos atentamente todos estes projetos, iremos reparar que buscam inspiração, fazem referência ao contexto, à cultura do país, aos materiais típicos da região ou pelo menos a um elemento marcante do local onde está inserida a edificação. É o que chamamos de Contextualismo.

No projeto do MIS por exemplo, os arquitetos defenderam que a forma do museu foi concebida dando continuidade ao calçadão da praia de Copacabana - abstratamente, claro. Na Cidade da Música foi utilizado concreto (típico material da arquitetura brasileira) como padrão, além do edifício ser elevado em relação ao piso e mesclar curvas e retas, numa clara citação às características de nossa linguagem modernista.

Esta busca por um “gancho” virou rotina, tornando-se um artifício comum da globalização - justifica o projeto e contribui para uma leitura artística do espaço. Nos exemplos citados, quase sempre o arquiteto é de um país e a obra de outro. Este intercâmbio proveniente dos meios de comunicação e dos concursos internacionais é essencial para o progresso arquitetônico.

Entre tantos criadores renomados existe um que consegue conjugar estes dois principais conceitos como ninguém. É um mestre no tema da sustentabilidade e é tão contextualista que não somos capazes de identificar facilmente sua obra tão diversificada. Renzo Piano, já citado pelo projeto do Beaubourg, é um verdadeiro camaleão.


Centro Cultural Jean-Marie Tjibaou / Renzo Piano / Nova Caledônia 1998.


No projeto de Renzo Piano para o Centro Cultural Jean-Marie Tjibaou na Nova Caledônia, destacam-se a sensibilidade ao ambiente natural, a capacidade de diálogo social e o respeito intelectual, que se propõem a compreender esta cultura, tão diversa da européia. Uma reflexão sobre a técnica construtiva e cultura material da habitação Kanak conduziu o mestre a uma morfologia que nos remete às cabanas locais de madeira ripada, aliada ao respeito pela extensa vegetação e superfície líquida do Oceano Pacífico. Claramente o oposto do seu projeto no Marais.

“A verdadeira universalidade na Arquitetura se realiza através do legado das raízes, a gratidão pelo passado e o respeito pela genealogia”, conclamou Renzo em 2005.


Você conhece o "Curso a distancia IBDA - SitEscola? Veja os cursos disponíveis, e colabore com o IBDA, participando, divulgando e sugerindo novos temas.

Comentários

Mais artigos

Sala para dois ambientes: a melhor forma de ampliar espaços

Piso aquecido. Como funciona e quais suas vantagens

Mezaninos para residências

Soluções de arquitetura e decoração tornam a casa aliada na economia de água e energia

Dicas para inovar na decoração de sua casa

Soluções arquitetônicas promovem bom isolamento acústico

Soluções arquitetônicas que melhoram o dia a dia do casal

10 Maneiras de modernizar sua cozinha

Apartamentos pequenos: 12 dicas para aumentar espaços

Lofts sofisticados

Elevador interno ou externo?

Como Ampliar Pequenos Ambientes

Soluções arquitetônicas que melhoram o dia a dia do casal

10 formas de tornar um espaço pequeno, maior!

Perguntas e respostas sobre casas de madeira

O projeto da casa começa com um diálogo franco com o arquiteto

Casa pré-fabricada de madeira? Dicas para sua compra.

Falta de espaço é solucionado com pequenas soluções arquitetônicas

Varandas grandes ou pequenas, um espaço para relaxar!

Um banheiro a mais

Soluções arquitetônicas: uma casa adequada ao seu estilo de vida. - parte 2

Soluções arquitetônicas: uma casa adequada ao seu estilo de vida.

Lareira, como planejar.

Casa Rio das Ostras

High Line e Standard Hotel NY

Arquitetura, como fazer bonito, barato e com bom gosto

Novos Paradigmas da Arquitetura Contemporânea

(R)evolução dos Home Theaters

Os 10 Mandamentos da Casa de Praia

O TAV (Trem Bala) e a tecnologia nacional

Casa de bambu é leve, barata e à prova de terremotos

Construções em bambu

Alguns conceitos atuais de Arquitetura

Soluções para construção de Centros de Distribuição na Movimat 2008

Vila Olímpíca de PEQUIM 2008

Urbanismo: um novo centro para Marselha

Vidros seletivos, produtos de última geração na linha de controle solar

Arquitetura de Exportação – SIM ou NÃO?

PVC na arquitetura: beleza, funcionalidade, inovação. Uma solução para seu projeto

Projetos de arquitetura : Contraste x Integração

Pontes cobertas: beleza, tradição e história explicadas à luz da engenharia

Projeto de residência: um guia com medidas e áreas mínimas

Residência construída em etapas